segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

A visão de Moisés e Elias

Olá, irmã Thaynara, a palavra visão é uma tradução. O que vale, irmã é a palavra original e que significa "rama" como em "panorama". Panorama é muito diferente de uma visão irreal. E Moisés e Elias andaram por aquele lugar: "E aconteceu que, quando aqueles [Moisés e Elias] se apartaram dele [Jesus], disse Pedro a Jesus:..." (Lucas 9:33) Uma visão, irmã, não caminha pelo ambiente. Outro fato é que não existe visão irreal onde duas ou mais pessoas acompanhem a mesma visão. A Bíblia diz que Pedro e outros que estavam com ele viram a Moisés e Elias. Logo, aquilo estava ocorrendo, de fato, no ambiente, diante de todos eles e não na cabeça de um, quer adotemos Jesus, ou Pedro. Todos testemunharam o ocorrido, logo não era uma visão sobrenatural, mas uma visão panorâmica, uma visão no sentido de ver, visualizar. E tão real era aquilo que viam, ou "aquela visão", que Pedro se dispôs a fazer tendas para todos os três ali presentes, inclusive Moisés que estaria morto. Tenda para um morto, ou uma visão? Não faz sentido irmão. E pedro não sabia o que dizia, porque não sabia que havia um motivo profundo para os dois estarem ali com Jesus, este é a razão de Deus ter ordenado para que não comentassem "aquela visão"/"aquilo que viram", com ninguém. Não podemos, irmã, criar doutrinas em cima de uma única palavra, temos que analisar todo o evento. E comunicação com mortos, irmã, não importa se o morto está presente se está falando por meio de um médium, ou qualquer outro meio. A Bíblia proíbe terminantemente a consulta a mortos e Cristo obviamente não iria contra esta ordem. Deus, por sua vez, de maneira alguma propiciaria a conversa entre um vivo e um morto. Porque Cristo, irmão, não é adepto do ensinamento do "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço". De modo que não há razão para se crer de que Moisés estivesse morto. O único motivo de haver, hoje, a defesa de que este evento não teria sido real é pelo motivo de que vivos não podem se comunicar com mortos, o que comprovaria de que Moisés não estaria ali morto, como alguns ensinam, para defender a imortalidade da alma. Lucas 9, acerca do MESMO EVENTO, nos diz: "E, tendo soado aquela voz, Jesus foi achado só; e eles calaram-se, e por aqueles dias não contaram a ninguém nada do que tinham visto." Lucas 9:36 Viu aí a tradução do mesmo episódio, agora em Lucas 9? Então não podemos fazer uma interpretação por meio da tradução, temos que ir ao original e levar em consideração todo o evento. Um abraço.

4 comentários:

  1. Olá novamente, irmão Adventista!

    Você poderia me auxiliar numa questão administrativa?

    É o seguinte:

    Tem a divisão sul americana a autoridade de disciplinar um membro, seja ele leigo ou pastor, se a suposta desobediência não é uma declaração oficial da IASD?

    Eu me refiro a questão do pos-lapsarianismo, onde no grupo em que estou, está tendo revolta porque a DSA esta disciplinando os membros por ensinarem isto, sendo que a IASD não tem posição oficial a respeito deste assunto.

    Me dá uma luz pra que eu possa ajudar estes irmãos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, irmão, esta é realmente uma questão administrativa. A visão pós-lapsariana não tem sido bem aceita atualmente e como representa a visão de uma minoria, sendo considerada pela outra parte como uma heresia, a recomendação é de não ensinar a visão pós-lapsariana para evitar contendas. A divisão sul-americana possui a competência de julgar questões administrativas. Qualquer discordância deve ser levada à administração, seguindo todos os trâmites definidos para tratar de questões deste tipo.

      Realmente o descumprimento de uma decisão da divisão pode acarretar em disciplina. A recomendação que dou aos irmãos é que tratem desta questão em conselho. Que levem suas objeções à divisão sul-americana em forma de oficio. Que então se tente convencer o conselho que deverá ser criado para ouvi-los.

      É necessário conseguir, no mínimo, um parecer favorável da divisão, antes de voltar a ensinar esta visão. E tem-se que estar disposto, também, a acatar a decisão final.

      Estas divisões existem para lidar com questões administrativas mesmo, os irmãos podem enviar o caso específico dos irmãos com todos os detalhes à divisão. Aceitando o caso, a divisão também ouvirá a associação ou a igreja local onde os irmãos congregam. Então não é algo simples, porque leva em consideração, também, a opinião da igreja.

      De modo que, não tendo uma poio da associação e/ou da igreja local, será muito difícil darem um parecer favorável aos irmão.

      O primeiro conselho que dou aos irmãos é evitarem o espírito de revolta, acalmem os ânimos, sigam por hora recomendação da divisão, tratem da questão junto ao grupo que já está formado e então decidam se vale a pena seguir os trâmites que lhe indiquei.

      Veja que, por qualquer contenda, na igreja, os irmãos poderão ser responsabilizados e, indo contra uma decisão da divisão, é o pior jeito de se tentar conseguir um parecer favorável aos irmãos.

      O melhor é os irmãos elegerem um representante, para tratar desta questão junto à divisão, administrativamente.

      O segundo conselho que dou e este é quanto às minhas convicções é que abandonem a visão pós-lapsariana. Discuti bastante este assunto a um tempo atrás, até com irmãos de outras denominações, com pesquisa nos livros de Ellen White e nos ensinos da Igreja ao longo dos anos. Há uma opinião majoritária e quase unânime, que é expressa em livros, artigos e trabalhos de eruditos adventistas e que firmam a posição de que Cristo foi "afetado" pelo pecado mas não "infectado". Eis um artigo bem enxuto sobre esta questão:

      http://www.entrevistas.criacionismo.com.br/2010_11_01_archive.html

      Assim, a igreja já possui uma opinião majoritária acerca do pós-lapsarianismo.

      Houve, irmão, um período em que o pós-lapsarianismo teve influência na igreja, foi discutido, arrazoado, estudado, no que, hoje, estamos vivendo o resultado do tratamento desta questão.

      Este é o tipo de situação em que o apelo deve ser feito a Deus. Somente Deus poderá convencer as autoridades que Ele próprio constituiu, caso tenham cometido um equívoco em rejeitar o pós-lapsarianismmo, senão, temos que admitir a possibilidade de estarmos errado e a igreja, hoje, ter chegado à correta conclusão.

      O que os irmãos podem fazer, de imediato, é entregar a questão nas mãos de Deus e esperar uma resposta com paciência. Por hora, atentar à recomendação de Cristo em respeitar as autoridades constituídas, suportando com paciência. No mais, façam tudo que forem fazer, administrativamente, conforme lhes orientei.

      Leia Romanos 13:3, a intenção das autoridades, incluindo as da divisão é promover o bem estar da congregação, isto, está acima até mesmo de nossas convicções pessoais.

      Mesmo estando corretos, se não tivermos a atitude que Cristo teve, não apenas falharemos em nosso intento como não obteremos o favor do Senhor e falo de experiência própria.

      Vou orar pero bem estar dos irmãos.

      Um abraço.

      Excluir