segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Apologética - Como saber quando uma pessoa está mentindo?



Acerca do seguinte canal:

https://www.youtube.com/channel/UCh7TUTXojlE8vRtb-EnuDzw/videos

Estive analisando a linguagem corporal (isto mesmo, para quem acredita que a mentira seja algo difícil de descobrir, saiba que há um número cada vez maior de pessoas a se aprofundarem no estudo da linguagem corporal, além de outros métodos) de um youtuber em especial, em vídeo contido em seu canal:

https://www.youtube.com/channel/UCPcJEdUqLOCeUXML0fnRaNA

O que mais chama a atenção neste youtuber, em particular, é a forma incessante de sinais que este provê em seus vídeos de forma viciosa, especialmente em um vídeo em particular onde o mesmo trata justamente do assunto proposto neste artigo, a mentira.

https://www.youtube.com/watch?v=dMKOZqva8oE

Quanto às acusações contidas no vídeo, ainda estou esperando resposta de ministérios que estão a propagar este material na internet:

https://mcapologetico.blogspot.com.br/2017/09/video-acachapante-sobre-apologistas.html

Este não é o primeiro vídeo promovido pelo CACP (e não poderia ser outro ministério, como de praxe), a tentar acusar um adventista de praticar a mentira e, com isto, dar a entender de que tal costume não seja privilégio somente do CACP.

http://www.cacp.org.br/teologo-adventista-falta-com-a-verdade/
http://www.cacp.org.br/mestres-adventistas-e-suas-erudicoes-tendenciosas/

Entenda os dois casos:

Após debate com estes dois adventistas em questão, o CACP, como é de praxe, tenta agora atacar a imagem daqueles com quem debateu, com a ajuda de terceiros que contribuem para com o CACP em seus próprios sites, canais, ou até mesmo através de e-mails.

Tenho notado nas últimas semanas que tal ministério tem tentado o uso de uma tática bastante simples e que consiste tão somente em acusar de mentirosos, aqueles com quem tem debatido.

O deixar de lado as ideias e usar a pessoa com quem debate e não seus argumentos como alvo de ataque àquele com quem debateu, sempre foi a maior característica do CACP. E isto ocorre sempre após o debate, fazendo acusações não diretamente à pessoa durante o debate, quando esta tem a chance de se defender e provar aquilo que disse.

Mas seguindo o exemplo do debate promovida na Rit TV com um pastor adventista, Flávio Martinez tem, então, no conforto de seu lar, após o debate, atacado pelos meios disponíveis aqueles com quem tem debatido.

E não apenas adventistas mas todo aquele que venha a discordar de sua postura apologética baseada na metodologia da distorção dos escritos alheios tem sofrido estas tentativas de perseguição e intimidação por meio da produção de calúnias e difamação.

A resposta de Flávio Monteiro:

https://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2017/07/resposta-do-pastor-sergio-monteiro.html

Um diálogo que tive com o colaborador do CACP em questão já a algum tempo:

http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2016/11/difamacao-e-uma-forma-de-falar-mal-da.html

(Sr. Adventista)

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

No céu, todos teremos que ser brancos e de olhos azuis?

Olá, irmão Fábio Fortunate, é uma satisfação manter contato contigo, a informação que o irmão recebeu é falsa por ser incompleta. Ellen White disse que no céu seremos todos "brancos como Jesus" e sabemos que Cristo não era um europeu de olhos azuis como é pintado em obras renascentistas.

Esta afirmação tem duas implicações, a primeira é crítica e tem o sentido de que não haverá separação de cor. A segunda é que no céu não se aplica diferenciação humana entre raças. Todos vieram de Adão e todos retornam ao novo Adão, que é Cristo.

O que não haverá no céu é LINHA de cor! Ou seja, não haverá separação de cor, é neste sentido que seremos todos "brancos como Jesus".

Os índios de pele vermelha continuarão com pele vermelha mas serão brancos como Jesus, do mesmo modo os de pele negra, amarelada, albina, ou alaranjada como a do presidente Trumph.

E isto está muito claro no contexto:

"“A religião da Bíblia não reconhece nenhuma casta ou cor. Ela não faz casa de posição social, riqueza, honra mundana. Deus avalia os homens como homens. Para ele, o caráter decide seu valor. E devemos reconhecer o Espírito Santo em todo aquele em que Ele é revelado.” – Testimonies, vol.9, pág. 223.

“Deus não reconhece distinção alguma de nacionalidade, etnia ou classe social. É o Criados de todo homem. Todos os homens são de uma família pela criação, e todos são um pela redenção. Cristo veio para demolir toda parede de separação e abrir todos os compartimentos do tempo, a fim de que todos possam ter livre acesso a Deus.” – Parábolas de Jesus, pág. 386

“Em nosso culto a Deus não haverá distinção entre ricos e pobres, brancos e negros. Todo preconceito se dissipará. Quando nos aproximamos de Deus, fá-lo-emos como uma só família.” – Meditação Matinal, 1968, pág. 288.

“Os muros do sectarismo, casta e raça desabarão quando o verdadeiro espírito missionário penetrar no coração dos homens. O preconceito é dissipado pelo amor de Deus.” – Review and Herald, 21/1/1986.
“Têm sido erigidos muros de separação entre os brancos e negros. Esse muros de preconceito ruirão por si mesmos, como aconteceu com os muros de Jericó, quando os cristãos obedecerem à Palavra de Deus, a qual recomenda que tenham supremo amor a seu Criados e amor imparcial ao próximo.” – Review and Herald, 17/12/1895.

“Quando for derramado O Espírito Santo, haverá uma vitória da humanidade sobre o preconceito em buscar a salvação da alma de seres humanos. Deus dirigirá a mente das pessoas. Corações humanos amarão como Cristo amou. E a barreira racial será por muitos considerada de modo bem diferente da maneira pela qual é considerada presentemente. Amar como Cristo ama eleva a mente a uma atmosfera pura, celeste, altruísta.” Testimonies, vol.9, pág. 209.

A afirmação de Ellen White em questão:

"“Vocês são filhos de Deus. Ele adotou vocês, e Ele deseja que formem características aqui que lhes darão entrada na família celestial. Lembrando disso, você será capaz de suportar as provações que encontrará aqui. No céu não haverá nenhuma linha de cor, pois todos serão brancos como o próprio Cristo. Agradeçamos a Deus por podermos ser membros da família real." (O Arauto do Evangelho, 01 março de 1901, n º 20)

A escritora sequer disse que seremos CONSIDERADOS brancos como Jesus, mas afirmou categoricamente que seremos brancos como Jesus, de modo que hoje mesmos podemos nos considerar brancos como Jesus, porque em Jesus Cristo não há nenhuma linha de cor. Todos vieram do primeiro Adão e todos retornam à família por meio do segundo Adão que é Cristo, compartilhando da mesma humanidade.

Um abraço.

Dissidentes anti-trinitarianos e seu ataque à igreja e a doutrina da trindade

A doutrina da igreja é fundamentada na Bíblia, ou em seus fundadores?

Os mesmos que rejeitavam a trindade eram os mesmos que engatinhavam como crianças acreditando que assim fazendo ganhariam o reino dos céus.

Acerca dos que acusam a igreja de ser Babilônia, Ellen White escreveu:

"cooperação com Cristo. Aqueles que afirmam que as igrejas adventistas do sétimo dia constituem Babilônia, ou qualquer parte de Babilônia, deveriam antes ficar em casa. Que eles se detenham e considerem qual é a mensagem que deve ser pregada presentemente. Em vez de trabalhar com meios divinos para preparar um povo que subsista no dia do Senhor, eles se puseram ao lado daquele que é um acusador dos irmãos, que os acusa dia e noite perante Deus. Agentes satânicos têm vindo das profundezas, inspirando os homens a unir-se numa confederação do mal, para perturbarem e atormentarem o povo de Deus, causando-lhe grande aflição. O mundo todo há de ser instigado à inimizade contra os adventistas do sétimo dia, porque eles não rendem homenagem ao papado, honrando o domingo, instituição desse poder anticristão. É desígnio de Satanás fazer com que eles sejam exterminados da Terra, a fim de que não seja contestada sua supremacia no mundo." (TM pg. 32)

"O Senhor não vos deu uma mensagem para chamar os adventistas do sétimo dia Babilônia, e chamar o povo de Deus a sair dela. Todas as razões que possais apresentar não podem, quanto a mim, ter peso nesse assunto, porque o Senhor me deu decisivo esclarecimento em oposição a tal mensagem. Não duvido de vossa sinceridade e honestidade. Tenho escrito, em diversas ocasiões, longas cartas aos que estavam acusando a Igreja dos adventistas do sétimo dia de ser Babilônia, de que não estavam lidando com a verdade. Pensais que pessoas me têm incutido preconceitos no espírito. Se me encontro neste estado, não sou apta a que se me confie a obra de Deus. Mas esse assunto me foi apresentado à mente em outros casos em que indivíduos pretenderam ter mensagens de caráter idêntico para a Igreja Adventista do Sétimo Dia, e foi-me dada a palavra: "Não os creiais." "Eu não os enviei, e todavia eles correram." Deus está guiando a saída de um povo. Ele tem um povo, uma igreja na Terra, os quais Ele tornou depositários de Sua lei. Confiou-lhes sagrado depósito e verdade eterna para ser dada ao mundo. Ele os reprovaria e corrigiria. A mensagem aos laodiceanos aplica-se aos adventistas do sétimo dia que têm tido grande esclarecimento e não têm andado na luz. São aqueles que têm feito grande profissão, mas não andado a par com seu Líder, que serão vomitados de Sua boca, a menos que se arrependam. A mensagem que declara a Igreja Adventista do Sétimo Dia Babilônia, e chama o povo de Deus a sair dela, não vem de nenhum mensageiro celeste, ou nenhum instrumento humano inspirado pelo Espírito de Deus. Diz a Testemunha Verdadeira: "Aconselho-te que de Mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os" (IR pg. 59)

Segundo Ellen White, ocorre justamente o contrário do que a irmã falou, aqueles que chamam a igreja de Babilônia e convidam seus membros a saírem dela, na opinião de Ellen White, são justamente aqueles que estão a fazer o trabalho do diabo.

Não é à toa que atacam a Cristo, tratando-o como uma mera criatura e ao Espirito Santo como se fosse uma "coisa" e não uma pessoa. Ao meu ver, estes deveriam deixar a igreja e passarem então a congregar no Salão do Reino, onde se compartilha desta fé. Porém, duvido que nossos irmãos Testemunhas acolham estes irmãos que tem consigo o mal costume de usar de teorias da conspiração. Ao meu ver, todo cristão que deixa de lado a Bíblia para buscar teorias no que firmar suas crenças tem um parafuso frouxo na cabeça.

Toda a trajetória da Igreja Adventista do Sétimo Dia, já foi escrita nos livros de Ellen White e nenhum destes falam sobre uma apostasia da igreja, muito pelo contrário, falam da apostasia de membros da igreja e do tempo da sacudidura, dos que passam então a renegar tudo o que Ellen White escreveu sobre o futuro da igreja para inventar um "novo futuro" onde estes mesmos membros apostatados seriam, agora, a igreja verdadeira e suas previsões as novas profecias.

Não creio que Jesus tenha aparecido em sonho ou visão para algum dissidente e ordenado que estes se pusessem na empreitada que estão se colocando, pelo contrário, creio que esta iniciativa é de puro interesse pessoal humano. Também não creio que Deus tenha pedido para usarem de abordagens de teorias da conspiração. Estes irmãos dissidentes se esquecem que nossas doutrinas não estão construídas em cima dos escritos de Ellen White, mas sim dos ESTUDOS DA PARTE ECLESIASTICA DA IGREJA. A doutrina da trindade segue este mesmo padrão, tendo sido desenvolvida e aceita posteriormente pela igreja, sendo debatida constantemente nos tempos de Ellen White.

O silêncio de Ellen White, já nos mostra de que estava à cargo DA IGREJA, chegar à uma conclusão sobre esta doutrina, assim foi decisão de Ellen White, segundo a vontade de Deus, deixar que a Igreja chegasse à sua conclusão!

O panteísmo e várias outras correntes filosóficas foram veementemente combatidas pela co-fundadora do adventismo e em nenhum ponto se calou diante do erro. Assim a igreja deteve aval divino para aceitação desta doutrina aos moldes do resultado dos estudos da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Assim, Ellen White não se omitiu, mas confiou de que a Igreja chegaria também à verdade sobre esta doutrina, a da trindade, assim como chegara às demais doutrinas que fazem parte dos alicerces da nossa crença, as 28 crenças fundamentais.

Que autoridade nossos dissidentes tem para a mudança de uma doutrina? Não é profética, não falam em nome de Deus, não foram chamados por Deus e estão debaixo daquilo que a própria escritora cristã condenou que se fizesse, chamar a igreja de Babilônia e sugerir que a Igreja e não os que dela saem por ocasião do peneiramento da sacudidura é que estão em apostasia.

Deus não manda "coisas" nem "criaturas" para fazer aquilo que é Seu trabalho, mas Deus nas três pessoas é quem dão cabo do problema do pecado aqui neste mundo. É Deus quem morreu na cruz, é Deus quem nos consola, não uma coisa e nem uma criatura.

E Deus não é homem para que necessite ser retido em uma pessoa, nem é socialmente solitário, de forma que não possa compartilhar de si entre pessoas de mesma natureza, essência, propósito e caráter.

O Pai é divino, o Filho é divino e o Espírito Santo é divino. Estão acima de toda criatura e criação e não podem ser rebaixados a este status, como se não houvessem existido antes da fundação do mundo.

Um abraço.