terça-feira, 20 de dezembro de 2016

A prioridade da ressurreição de Cristo

Olá, irmão Elias, devemos fazer uma pergunta ao texto: Por que Cristo foi feito as primícias dos que dormem mesmo não tendo sido o primeiro? A resposta é, porque Ele é o mais importante, pois dele procede todas as demais ressurreições. Jesus é as primícias dos que dormem no sentido amplo, não apenas no caso de Moisés que dormiu e foi levado, mas todos os que dormiram e um dia foram ressuscitados, incluindo Lázaro. Não podemos, irmão, comparar nenhuma ressurreição com a de Cristo, nem mesmo a de Moisés, o que o texto mostra é que Cristo é as primícias independente de ter sido o primeiro a passar pelo milagre da ressurreição ou não. Assim, o verso 23 não está levando em consideração a ressurreição de Moisés, assim como não está levando em consideração a ressurreição de Lázaro e outros que foram ressuscitados. Paulo está tratando da importância da ressurreição de Cristo e o motivo de Sua ressurreição ter sido tratada com prioridade, tendo em vista daqueles que continuavam dormindo nos tempos de Paulo. No que Paulo ensina de que que todos um dia ressuscitarão COMO Ele, embora não tenham sido ressuscitados COM Ele. Entenda: Os benefícios da graça conquistados por Cristo, já eram aplicados antes da vinda de Cristo, e por este motivo, também, todos os mortos em Deus um dia ressuscitarão e receberão a vida eterna. Também, a transladação ao céu, já havia sido aplicada antes mesmo da morte de Cristo. Assim, ser as primícias não implica que tenha que ser o primeiro! O próprio plano da salvação contradiz esta ideia! Deus já aplicava os benefícios da salvação aos que vieram antes de Cristo, mesmo sendo Ele o mais importante, as primícias dos que dormem. É como ser, por exemplo, irmão, o aniversariante! O aniversariante é o mais importante, é a primícia dos que hão de comer o bolo, mas o aniversariante pode conceder a primeira e a segunda fatia a quem ele julgar ter bastante consideração e depois, enfim comer o bolo. O homem que trabalha, irmão, é a primícia dos que fazem uso do salário, mas ele pode dar a mesada a seus filhos antes mesmo de ele próprio fazer uso do seu salário. Este, irmão é o sentido de primícias. Assim, professores como o Leandro Quadros, ensinam que Moisés, Elias e Enoque foram levado para o céu por meio de uma espécie de "cheque pré-datado" a ser compensado na Cruz. Naquele contexto, dos que estavam mortos no mesmo dia que Cristo, Ele era a prioridade, Ele era o mais importante, e assim mesmo levou outros como troféu, ressuscitando-os consigo e fazendo-os aparecer para muitos. Assim, irmão, interpretar primícias tão somente como "o primeiro", tira muito do belo sentido de ser as primícias como o "mais importante" mas aquele que não advoga para si o direito de ser "o primeiro" mas aquele que tem a prioridade e que mesmo assim, decide levar outros antes Dele ou junto com Ele, segundo os Seus méritos. E a glorificação de Moisés em nada contradiz Paulo, porque Elias e Enoque, igualmente foram glorificados em seus corpos. Moisés apenas conjura a ressurreição que já ocorrera várias vezes antes da morte de Cristo e a glorificação junto com a transladação que também já ocorrera em dois casos, o de Enoque e Elias, antes da morte de Cristo. Então, de maneira alguma o fato de Cristo ser as primícias revoga a ideia de que Moisés tenha sido ressuscitado e trasladado. O objetivo do escrito de Paulo não foi indicar que Cristo foi o primeiro a passar por uma ressurreição, acompanhada de glorificação e trasladação, como será o destino de todos os que dormem em Cristo. Mas sim, que é Aquele que é o mais importante neste processo. Assim, Paulo apresenta a ressurreição de Cristo mais como uma "prioridade" do que sendo "o primeiro". E usa isto para explicar o porque de Cristo ter subido antes e os mortos terem que subir depois. Mostrando que isto não seria motivo para a descrença, poque Cristo ressuscitou antes destes, por ser prioridade entre os que dormiam, mas que também os outros um dia passariam pela ressurreição. Assim, percebo que Paulo agregou também o sentido de "prioridade" ao falar dos motivos da ressurreição de Cristo, sendo neste sentido, e não no de "ser o primeiro", que trata, aos seus, acerca da ressurreição que todos os salvos em Cristo um dia haverão de passar. É por isto, irmão, que lemos a palavras "primícias" ser conservada na tradução, ao invés de ser substituída por "primeiro", porque em si, até pelo contexto, não denota um significado simples de "primeiro", denotando, em seu lugar, um significado de "importância". Uma abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário