terça-feira, 13 de dezembro de 2016

A fonte de autoridade do domingo

Olá irmão, sua conclusão não procede. Estes textos são verídicos, acompanhados da devida fonte. As citações do irmão, também estão incompletas, os quais, nas fontes originais, segundo o seu contexto não mostram uma substituição do sábado pelo domingo, mas o início da guarda de outro dia e gradativo repúdio ao sábado, por vários motivos alheios às Escrituras Sagradas, o que pode ser encontrado na obra intitulada "Do sábado para o domingo" de Samuelle Bacchiocchi. Esta obra recebeu o imprimatur do vaticano. Boa parte dos padres assumem que a mudança do dia de guarda teria sido feito pela própria igreja segundo autoridade concedida a ela por Cristo. O papado eleva a autoridade da tradição e considera o domingo como uma de suas bem-feitorias. Fato é que não apenas as fontes que citei são reais como o conteúdo constante nas citações são verídicos. As próprias fontes patrísticas mostram que a adoção do domingo ocorreu de forma gradual e que o domingo só passou a ocupar o lugar do sábado como dia oficial de culto, à partir do decreto de Constantino e depois de sucessivos concílios. Há de se notar, também, que o resultados da mudança, não apenas do dia de guarda, mas a inclusão, exclusão e modificações de outras doutrinas levaram a igreja à apostasia da idade média. De modo que, também pela experiência, entendemos que de nenhuma forma estas mudanças podem ser creditadas como corretas, segundo o resultado. Assim, ocorre que, ou pela Bíblia ou pela tradição (incluindo os ensinos extra-biblicos patrísticos) é que encontramos uma validação para estas mudanças. No que os textos que lhe citei reconhecem que a mudança em relação ao sábado de maneira alguma se deu por autorização das Escrituras. As afirmações nas citações estão corretas, em nenhum lugar das Escrituras encontramos ordem para a santificação do domingo. Em parte alguma das Escrituras encontramos ordem para a mudança do dia de guarda. De modo que, não sendo em razão de sua própria autoridade, não há outra razão que possa explicar a mudança do dia de guarda do sábado para o domingo por parte da igreja. Nenhuma das citações que o irmão utilizou, constam na Bíblia, mas sim em escritos de pais da igreja, o que comprova que a origem do domingo não se deu no cânon da Bíblia sagrada, mas pouco antes do segundo século. Quem validou o domingo por meio da tradição, assumindo a tradição como tendo autoridade sobre as Escrituras, foi a Igreja Católica Apostólica, então, Romana. Assim os padres também declaram que não apenas a Bíblia se constitui em regra de fé para a igreja, mas também a tradição e principalmente a tradição. E o que começou como uma reunião no domingo, para uma ceita antes das atividades do dia, resultou, nos séculos seguintes, em um novo dia de guarda para a igreja e que, então, veio a substituir o sábado das Escrituras Sagradas. É no catecismo que encontramos registrada a mudança, em contraparte às Escrituras Sagradas. Declaração aberta de que os mandamentos foram mudados. Foi o papado quem, de fato, regulamentou e oficializou a mudança, segundo a sua própria autoridade, como supremo representante da igreja aqui na terra, pelo que consta nestas citações, também no livro que indiquei e nas declarações do catecismo. E sabendo que a mudança foi, de fato, assim, qual o motivo da dificuldade de se assumir esta mudança sob autoridade da Igreja e não das Escrituras? Um abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário