quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

O dízimo é uma prática pagã?

Olá, irmão Nilton, Deus é pagão? Pergunto isto porque a Bíblia é clara em mostrar o dízimo como um mandamento de Deus. Este ensinamento de que o dízimo é algo herdado do paganismo, é anti-biblico. A forma como o irmão pregou no vídeo, descartou totalmente a inspiração das Escrituras, não levou em consideração o que há ali escrito.

Hebreus 7:9, Malaquias 3:10.

E dízimo, irmão, não é oferta. Sendo que há estas duas instituições, uma não revoga a outra, Malaquias 3:8.

Creio que o irmão cometeu uma falha ao não anunciar o dízimo como Divinamente instituído e regulamentado por Deus! Não podemos deixar de lado as Escrituras e mergulhar apenas em teorias, irmão. A regra de fé de todo cristão é a Bíblia e devemos crer, antes no que diz a Bíblia, do que crer naquilo que é dito fora dela e que a contradiz.

Aos 2:32 o irmão disse "Ao rei sacerdote pagão, Melquisedeque", mas veja o que a Bíblia diz em Hebreus 7:1. E veja que perigoso esta afirmação, irmão Nilton, a Bíblia usa Melquisedeque como um "Tipo" (tipologia bíblica) de Cristo Hebreus 5:10, Hebreus 5:6, Hebreus 7:17, Salmos 110:4, Hebreus 6:20".

Podemos não concordar com o dízimo, mas não podemos contradizer o que encontramos nas Escrituras, irmão. O irmão deveria ter incluído a informação de que, independente da origem atribuída ao dízimo, Deus instituiu tal mandamento entre Seu Povo. Sacrifícios, irmão, também eram realizados por nações pagãs, nem por isto dizemos que os sacrifícios de cordeiros que representavam a Cristo seria pagão, ou de origem pagã. Devemos tomar cuidado, irmão, para não construir um mal entendimento nestes assuntos, por meio de suposições, ainda mais em questões que envolvem Tipologias de Cristo, a fim de não cometermos uma blasfêmia, mesmo que não intencional obviamente.

E o sacrifício de animais, irmão, consta desde a época de Adão e Eva, onde vemos seus filhos sacrificando a Deus, muito antes de existir o próprio paganismo. E sacerdotes, irmãos, como Melquisedeque eram responsáveis por ensinar sobre o sacrifício de animais e levar a mensagem do Deus vivo aos povos. O dízimo, sacerdócio e sacrifício de animais, fazem parte de um mesmo plano de ensino acerca da salvação, por meio do sacrifício de um substituto, no lugar da humanidade.

Não podemos negar estas verdades irmãos! São coisas instituídas e aprovadas por Deus e que foram exigidas no decorrer da História e praticas por aqueles que Criam no Deus vivo. Caim, Abel, Abraão, todos estes sacrificavam e Abraão e Jacó, também devolviam o dízimo Gênesis 28:22, Gênesis 14:20:

E Cristo não disse que o dízimo deveria deixar de ser entregue, por ser pagão, coisa nenhuma irmão:

"Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, SEM OMITIR AQUELAS." Mateus 23:23

Paulo também não:

"Vocês não sabem que aqueles que trabalham no templo alimentam-se das coisas do templo, e que os que servem diante do altar participam do que é oferecido no altar? Da mesma forma o Senhor ordenou àqueles que pregam o evangelho, que vivam do evangelho." 1 Coríntios 9:13,14

Paulo não usava deste direito, mas nem por isto o revogou aos demais que pregariam o evangelho:

"Mas eu não tenho usado de nenhum desses direitos. Não estou escrevendo na esperança de que vocês façam isso por mim. Prefiro morrer a permitir que alguém me prive deste meu orgulho" (1 Corintios 9).

Assim, não tenho nada contra quem não use do dízimo, considero louvável, como também não uso, mas não podemos negar a sua origem nas Escrituras e sua Divina instituição, irmão, porque temos o dever de falar de acordo com as Escrituras.

Um abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário