quarta-feira, 9 de novembro de 2016

A salvação no Antigo Testamento era pelas obras?

Olá, irmão, sua declaração soa como " biblicamente estão com a razão, não consigo contestá-los" então tenho que partir para o descrédito dizendo que idolatram o sábado, ao invés de guarda-lo, e a Ellen White, ao invés de ouvi-la. Veja, irmão, que a escola que prega a salvação pelas obras, no antigo testamento, é a dispensacionalista. A igreja adventista nunca creu na salvação pelas obras, nem mesmo no antigo testamento. Assim como igrejas protestantes tradicionais, ensinamos que a salvação no antigo testamento era pela graça mediante a expressão da fé no sacrifício do cordeirinho e que simbolizava a Cristo. E que os mandamentos são dados apenas a pessoas já salvas, como foram dados ao povo de Israel, a Abraão e todos aqueles que abraçaram a salvação em Deus. O próprio seguir da lei, sabendo que já fomos salvos, combate todo legalismo, porque coloca o seguir dos mandamentos como consequência da salvação, o realizar das obas ditas por Tiago. Pela graça mediante a fé somos salvos, diz a Bíblia, mas a fé que não é precedida de obras é morta, diz a mesma Bíblia. Assim, somos salvos pela fé e praticamos boas obras, qual o problema disto? Igreja Adventista, sábado, Ellen White estão em um mesmo veio que procede da escola historicista, da qual Martinho Lutero e Isaac Newton também fizeram parte. É a escola de estudos mais antiga, antes mesmo da preteristas. E como vemos, a conclusão de Martinho Lutero é que a graça é a única coisa capaz de explicar a nossa salvação. Ocorre que no vídeo do irmão Caio Fábio, o que é defendido é a visão dispensacionalista acerca da lei. Nem mesmo os preteristas concordam com esta posição. Porém não vejo ninguém acusando Batistas do sétimo dia de serem legalistas ao guardar o sábado, o que nos mostra que não há muita razão em acusar os adventistas de legalistas. A IASD não prega nem a abolição da lei, nem a salvação por meio dela. Deixa-a em seu devido lugar como fazem as igrejas protestantes, sem porém, fazer qualquer subtração ou alteração nos mandamentos de Deus. Agora, posso sim, dizer que há uma seita que prega salvação pela lei, pelo menos no antigo testamento, o que sabemos ser uma heresia! A salvação sempre foi unicamente pela graça, desde a época de Adão, onde seus filhos já ofereciam sacrifícios de animais a Deus. E a Igreja Adventista é a única que aceita e ensina a doutrina do santuário, no meio cristão. Que ensina que o motivo de se sacrificar animais, junto com a figura sacerdotal e sumo-sacerdotal eram um prenuncio da salvação NO sacrifício de Cristo e não na prática da lei em si. E quem lê o livro "Caminho a Cristo" de Ellen G. White, nunca há de dizer que adventistas acreditem que a salvação possa ser por meio daquilo que fazemos. É um livro pequeno, acessível a todos. Assim, afirmações como esta, se dão por motivo de pura falta de conhecimento. O que não podemos, irmão, é ir para qualquer dos extremos, o primeiro é tentar se justificar pela guarda da lei e o outro é tentar se justificar pela abolição da lei. Se abolimos a lei em prol da graça, estamos assumindo que o papel da lei tenha sido, alguma vez, prover graça, ao invés de tão somente um estilo de vida em conformidade com a vontade de Deus. "Anulamos a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei" diz Paulo. A lei apontava para Cristo, ela não substituía Cristo. De modo que éramos salvos pela graça, para então receber a lei e praticá-la. A lei nunca vem antes da Graça! Então esta ideia de que a salvação no Antigo Testamento era pela lei e que no Novo Testamento era pela graça está totalmente deturpada. Sempre foi pela graça, acompanhada da lei. Não havia uma dispensação "salvífica" da lei! Era graça no tempo de Adão, graça no tempo de Sete, graça no tempo de Abraão, Jacó e graça no tempo do Povo de Israel. Salvação unicamente pelo sacrifício de Cristo. E assim guardaram a lei porque é um dever natural de todo homem que conhece a Deus. "De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem." Eclesiastes 12:13 Então, separar a história da salvação em duas dispensações sendo uma de salvação pela lei e outra pela graça não é correto e devemos abandonar este pensamento, irmão. A salvação sempre foi única e exclusivamente derivada do sacrifício de Cristo em favor da humanidade, ensinado desde que o mundo é mundo, por meio do sacrifício de animais que simbolizavam o Cristo que viria para salvar toda a humanidade. Um abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário