terça-feira, 22 de novembro de 2016

Coisas surgem pelo método evolucionista?

13 comentários:

  1. A evolução existe,sr. adventista. Comprovamos isto pelo próprio avanço científico e tecnológico que são produtos da evolução do cérebro humano.
    Suponho que o Homem nem sempre dormiu numa cama. Então, onde dormiria a espécie humana há milhares de anos atrás? Se não dormia numa cama é porque não sabia fabricar camas. Se não sabia fabricar camas é porque desconhecia a existência de ferramentas. Se não sabia fabricar ferramentas é porque não tinha descoberto os metais. Se não tinha descoberto os metais não usava pregos. Então como seriam as casas? Tendas? E antes das tendas? Cavernas? O Homem que hoje apanha gripes e pneumonias porque não resiste ao frio seria o mesmo que no tempo das cavernas? Claro que não. O Homem teve que ser mais rude para poder chegar até aos nossos dias. O Homem teve que ser mais animalesco para poder carregar as cargas e os filhos. Teve que lutar com feras servindo-se de pedras e paus. Garras não tinha, grandes dentes também não. Por isso, serviu-se da astúcia e o cérebro foi-se desenvolvendo. É por isso que caminhamos eretos devido às posturas do homem terem mudado com o passar do tempo. A necessidade de caminhar a quatro patas deixou de se fazer sentir quando o homem criou os meios de transporte mais rudimentares ou se serviu dos animais para esse fim.
    Antes da eletricidade havia a vela, antes da vela a candeia, antes da candeia o archote, antes do archote a fogueira, antes da fogueira a chama, antes da chama a faísca, antes da faísca...
    Antes do corta-unhas, a tesoura, antes da tesoura a faca, antes da faca as unhas partidas... Antes da navalha a barba e as guedelhas até aos pés. Antes das peles de animais, as folhas das árvores? Contra temperaturas extremas, se o homem nao tivesse o corpo coberto de pêlo hirsuto como teria sobrevivido?
    Sim, houve evolução e continuará a haver até à extinção da espécie.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmã, como as máquinas computadorizadas eram e sobreviviam à milhões de anos?

      Estou mandando esta pergunta enviada por uma máquina computadorizada que se encontra a 2 milhões de anos no futuro. Ela tem apenas 21 anos de idade ainda, mas conseguiu mandar uma mensagem por uma máquina do tempo, para perguntar como a vida das máquinas surgiram no passado.

      O que respondo a Ela? Que veio de um MAC, ou um PC que evoluiu? Ou que houveram seres chamados "humanos" que as criaram?

      É que nosso planeta será devastado com bombas atômicas daqui a 150 anos, sobrando apenas máquinas computadorizadas que se conseguiu criar inteligência real por meio de muita engenharia, design e planejamento:

      "pelo próprio avanço científico e tecnológico que são produtos da evolução do cérebro humano"

      Então, o que eu respondo para esta jovem máquina? Que elas foram criadas por seres humanos, ou que foram produto de uma evolução?

      Veja, irmã, o homem há milhares de anos tinha o corpo coberto de pele de animal, mas nem precisariam, viviam em um planeta com estações estáveis com o mesmo sol.

      A irmã sabia que em 1800 ainda usávamos charretes puxadas com cavalos exatamente como há cerca de 6 mil anos atrás?

      Foram necessários, conte, 216 anos para sair desta situação para a de jatos supersônicos? A irmã sabe quantas vezes a humanidade poderia ter ido desta situação do uso de animais para construção de naves espaciais nestes 6 mil anos?

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2016/11/ateismo-origem-da-civilizacao.html

      Veja, suponhamos que há 100 mil anos o homem tivesse 90% da capacidade cerebral que temos hoje, já seria suficiente para, pelo menos, construírem máquinas a vapor, ou pelo menos uma bicicleta. Mas não fizeram nem um prendedor de roupas, irmã.

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2016/01/o-evolucionismo-e-o-problema-com-o.html

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2016/01/pergunta-evolucionistas.html

      Veja, usando este mesmo ensinamento evolucionista dito pela irmã, deveríamos esperar que houveram desafios no passado, tão complexos, que exigiriam do homem a desenvolver a inteligência capaz de criar jatos supersônicos. Segundo a evolução, o desenvolvimento é fruto da NECESSIDADE. Mas veja, capacidade de construir computadores é muito maior do que qualquer tipo de necessidade relativo à sobrevivência, alimento, pontes, dentre outras coisas. E não vimos estes desafios nos último 216 anos!

      Acaso somos bem mais inteligentes ou adquirimos esta capacidade cerebral hoje, devido aos desafios dos últimos 216 anos? Muito rápido para um processo de evolução, irmã.

      A verdade é que já tinhamos esta capacidade desenvolvida há 216 anos atrás, só que não a usamos, mas por que? Por que só agora usamos algo que já tinhamos desenvolvido? E o mais importante, como desenvolvemos, no passado esta capacidade?

      E se na evolução tudo é fruto do exercício, colocar em prática a resolução de problemas, que tipo de desafios foram exigidos do homem a fim de criar tamanha capacidade? E será que encontraremos as coisas nas quais o homem aplicou o exercício de desenvolver sua capacidade?

      Veja, os desafios no passado não exigiam nem mesmo a criação de uma bicicleta, quanto mais um jato supersônico.

      Assim, irmã, não houve razão que pudesse desenvolver esta capacidade cerebral, de raciocínio, de criação, de elevação às artes, desenvolvimento de histórias de romances, ou mesmo um simples tabuleiro de jogos.

      Tudo que temos é bem recente, irmã. De modo que a evolução não foi a responsável pelo desenvolvimento da capacidade cerebral humana. O homem há 6 mil anos atrás já tinha a mesma capacidade que hoje, apenas não desenvolveu tecnologias como as de hoje naquele tempo, porque não tiveram oportunidade.

      (...)

      Excluir
    2. Chegaram no desenvolvimento de 216 anos atrás, tinham veículos puxados por animais, então veio o dilúvio. Se desenvolveram e chegaram na época da torre de Babel, veio a destruição da torre e o povo se espalhou, chegaram a época dos grandes impérios, e foram um após outro, ou destruídos ou escravizados. Veio então época de Jesus, Ele foi morto e invadiram jerusalém e Roma foi minada nas bases por tribos bárbaras. Veio o papado, mas tudo se estagnou novamente na idade média.

      Somente depois do fim do período de supremacia papal é que o homem pôde novamente voltar a desenvolver tecnologias, depois de tantas interrupções.

      216 anos então, e apenas isto foram necessários e hoje temos TVs de alta definição.

      Veja, 1 milhão de anos, seria oportunidade para a humanidade te se desenvolvido e se destruído milhares de vezes. 50% da capacidade cerebral seria suficiente para, pelo menos, dominarem o manuseio de metais, tão necessários na suposta época, segundo teoria da evolução.

      Aos 80% o homem já poderia ter desenvolvido, pelo menos o que já tinhamos na idade média.

      E por que, irmã, o homem não foi criando à medida que sua intelectualidade foi se desenvolvendo?

      Não apenas a falta de desafios, mas a falta dos produtos destes desafios, deve ser levada em conta. O desafio que levou o homem a desenvolver capacidade de criar bicicletas, deve ter sido algo ao nível de se criar uma bicicleta, então onde está a tal bicicleta que o homem criou a 30 mil anos atrás?

      Tudo que temos de alegação, para o desenvolvimento desta capacidade cerebral é insuficientes. Pontas de flechas, machados rudimentares, não são desafios suficientes para desenvolver capacidade para se criar transistores.

      Se o homem se desenvolvesse realmente com os desafios, este desenvolvimento acompanhariam os próprios desafios, então:

      - A 1 milhão de anos deveríamos ter o primeiro prendedor de roupas (ou peles de animais).

      - A 500 mil anos já deveríamos ter as primeiras rodas e as primeiras charretes.

      - A 200 mil anos, as primeiras máquinas a vapor.

      - A 100 mil anos, as primeiras televisões preto e branco.

      - A 30 mil anos, toda a tecnologia que temos hoje.

      Mas veja, que nem isto cabe na teoria evolucionista, pois, para passar de um prendedor de roupas para uma espada fundida, segundo a evolução, seriam necessários muito mais tempo.

      Em suma:

      Tanto não temos ideia dos desafios, que não temos os produtos confeccionados nestes desafio e não temos uma progressão de capacidade cerebral, mas apenas uma explosão dela nos últimos 6 mil anos, muito poucos para ter sido fruto de uma evolução, até porque temos registros escritos de como era a vida naquela época, muito similar à dos tempos de Cristo.

      Um abraço, irmã.

      Excluir
  2. 216 anos a produzir invenções devido à acumulação dos conhecimentos anteriores parece-lhe uma explosão rápida demais, sr.adventista? Não teve que haver uma progressão gradual até atingirmos o séc. XVIII? As condições históricas foram determinantes para a evolução da ciência.
    Para si, o Homem poderia ter criado uma bicicleta há 30 mil anos atrás porque acha que o seu cérebro já estaria suficientemente desenvolvido para isso se estivesse de acordo com a teoria da evolução.
    Devo confessar que acho o seu texto um pouco confuso. Pelo que percebi, o sr. pretende que o cérebro se poderia ter desenvolvido mais depressa se a teoria da evolução fosse verdadeira. Como não houve descobertas espetaculares antes do séc. XVIII o sr. usa isso como prova de que a teoria da evolução é um fracasso. Estou certa?
    A humanidade primeiro gatinhou, depois andou, depois correu, depois navegou, depois voou, e assim por diante. E pelo meio ficaram as guerras e a luta pela sobrevivência.
    Da descoberta do fogo à partida para a lua, que mais queremos para concluir que a inteligência não foi implantada no cérebro de Adão
    no momento da criação? Se Deus assim o tivesse feito, porque é que Adão e Eva se cobriram com folhas de figueira ao tomarem consciência da sua nudez? Já teriam descoberto o tear e a máquina de costura por essa altura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim irmã, houve um acúmulo, de conhecimento, não de inteligência. Não houve um desenvolver da inteligência com o passar dos milênios, mas apenas de aprendizado sobre este mundo e conhecimento de como ele funciona. O que explodiu foi a capacidade de descoberta e criação, após entender como funciona as ciências que regem o mundo.

      Isto porém, não foi fruto da evolução, o homem sempre teve tal capacidade. Enfim, ela não foi desenvolvida por meio da necessidade de sobrevivência durante os milhões de anos que supostamente se passaram.

      Veja que a humanidade se assustaria se daqui a 216 anos, os chimpanzés começassem a criar as primeiras charretes, e se, então, depois de mais alguns anos, começassem a criar os primeiros jatos supersônicos.

      Pois é exatamente isto que teria ocorrido com a humanidade. Ela teria desenvolvido toda a sua capacidade atual sem a tê-la treinado. Simplesmente, Bum! Está ali uma inteligência, que o homem nunca desenvolveu nem treinou, e que no entanto foi sendo usada conforme o homem se embrenhava no conhecimento das ciências.

      Nada, no passado, treinou o homem para desenvolver esta inteligência. Não foram necessários milhões de anos para pular da condição da dependência do uso de animais, para o uso de veículos ultramodernos. Foram apenas 6 mil anos para sair desta condição, por meio da assimilação de conhecimento. E apenas 261 anos para a sua implementação.

      Não foi o tempo que desenvolveu a inteligência humana, irmã, apenas que fizemos uso de uma inteligência extraordinária que sempre tivemos, segundo o conhecimento que adquirimos ao longo dos anos.

      6 mil anos foram para colher e assimilar informações. Ali há 6 mil anos atrás começa a história do ser humano, irmã.

      Interessante que a história mais antiga que temos nesta civilização é uma história muito parecida com a que encontramos no Gênesis e que fala acerca do Éden.

      Assista estes vídeos arqueológicos:
      https://www.youtube.com/watch?v=lkghkFd9Vps
      https://www.youtube.com/watch?v=lZ6_t5IECLY

      E o cobrir com folhas, por parte de Adão e Eva, foi pegar folhas e colocar sobre o corpo mesmo, do jeito que se apanha na natureza, é como arrancar a folha de uma bananeira e se cobrir com ela mesmo, irmã. Depois do evento, a Bíblia diz que Deus (veja, Deus) produziu roupas com o uso de peles de animais.

      Eruditos Bíblicos acreditam que Adão e Eva não notavam sua nudez porque o corpo deles estavam revestidos de glória. A Bíblia diz que na ressurreição os mortos e também os vivos que estiverem na ocasião da volta de Cristo, terão seus corpos glorificados.

      É provável que teremos algo a mais envolvendo nossos corpos e nossa pele, uma proteção que transpassa o físico (1 Coríntios 15:44). Assim usamos a expressão "revestidos de glória", ou,
      "vestes de glória". Por isto Adão e Eva não viam a vergonha de sua nudez.

      A perda deste revestimento, faz parte da morte espiritual que Adão e Eva sofreram imediatamente após terem pecado. Com o passar do tempo, já não conseguiriam mais ver o mundo espiritual e suas criaturas. Com o tempo, também não conseguiriam se comunicar diretamente com Deus.

      (...)

      Excluir
    2. Assim, irmã, a inteligência que temos hoje, já estava presente no cérebro de Adão. Que vivia em meio à natureza! A tecnologia biológica criada por Deus era a tecnologia dada à Adão e Eva, teriam apenas que aprender como funciona e interagir com este mundo biológico e dali tiravam tudo que necessitavam para viverem eternamente.

      Adão, irmã, poderia correr 100 km muito fácil. Tão forte eram Noé e sua família, que construíram barco usando madeiras de extremo tamanho e peso. A Bíblia relata gigantes, onde o homem atual bateria na altura da cintura ou das coxas e nem se comparam à estatura e porte físico que o homem tinha quando foi criado. Assim, o homem não necessitava de máquinas.

      O clima era perfeito, Adão e Eva poderiam dormir debaixo de qualquer teto, os animais não picavam, nem molestavam. Não havia risco de doenças, toda água era pura. As serpentes não tinham veneno, nem as plantas. Não havia nada que ameaçasse a vida do homem ou da mulher. A mulher não tinha parto com dores, o homem, não precisava trabalhar desesperadamente pelo sustento, a vegetação era abundante e cheia de árvores que davam frutos e sementes. Não havia seca, nem mal tempo, nem catástrofes. Em qualquer lugar que Adão deitasse era como deitar na grama de seu próprio jardim, onde as folhas não causavam urtiga.

      Foi tudo isto que Adão, juntamente com a humanidade, perderam, ao se afastar de Deus e perder o contato com o mundo espiritual. Ficou entregue à sua própria capacidade, então teria que cuidar de si mesmo, conseguir alimento pelo seu próprio esforço e padecerem de dor, que alertariam a eles quando algo em seu corpo estivesse errado.

      Não apenas Adão e Eva, mas também todo o mundo, incluindo plantas e animais, agora estavam nus, destituídos da glória da presença de Deus.

      Começou então a história da civilização humana, na descendência dos filhos de Adão e Eva. Seus descendentes escreveram esta história e a deixou registrada em vários tabletes cuneiformes. Em pouco tempo a civilização humana já haviam desenvolvido a escrita, irmã, usando a capacidade que o homem recebeu de Deus na criação no Éden. Casas, utensílios, com o que se encontrava na natureza. São este achados que os evolucionistas atribuem como tendo "milhões" de anos.

      Um abraço.

      Excluir
  3. O seu problema são os 6 mil anos. Mais uma contagem errada devido a uma interpretação literal da bíblia. Em 6 mil anos tudo acontece muito depressa e não há lugar para a evolução. Mas para quem não pensa assim a teoria da evolução explica a adaptação de todos os seres vivos ao meio e as consequentes mutações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A teoria da evolução, irmã, foi desenvolvida sem ter o conhecimento que possuímos atualmente. A teoria da mutação não faz parte das explicações de Darwin, sendo desenvolvida para tapar o buraco trazido pela descoberta do DNA algo impossível de ser modificado pelo próprio organismo, por não haver um mecanismo para tal em nenhuma espécie de ser vivo nos dias de hoje.

      Então recorreu-se ao fenômeno da mutação, mas está caindo em descrédito, pelo fato de nunca ter conseguido se observar qualquer tipo de mutação benéfica, onde se incrementa o DNA, adicionando informação.

      Todas as mutações que temos são decorrentes de danos no DNA. Mesmo Dawkins nunca encontrou qualquer caso que pudesse indicar uma mutação acidental benéfica para o ser vivo.

      https://www.youtube.com/watch?v=cVDhWRlrs9g

      O DNA é um conjunto de código complexos de onde as células tiram informações para construir o corpo. É basicamente a fórmula para se montar cada ser vivo. O problema é que este DNA não pode ser reescrito, não há mecanismo para tal. Qualquer adição ou subtração forçada, leva a gerar criaturas defeituosas "mutantes". A menos que se edite todo o código de uma forma lógica e planejada, o resultado sempre será uma danificação do animal que está sendo formado à partir destas informações.

      A mais antiga civilização humana, a da mesopotâmia, é datada de 7 mil anos antes de Cristo, irmã. Datação da arqueologia e que está em harmonia com os entre 6 e 10 mil anos, que a teologia atribuiu à existência do homem neste mundo.

      Outra informação, irmã, é que a adaptação de seres vivos não ocorrem por meio de mutações. Ela ocorre imdediatamente à partir do momento que o ser vivo muda de ambiente e a mudança ocorre com todos os seres e todo adquirem as mesmas características. Descobriu-se então que a variedade das espécies está contida no próprio DNA. Por exemplo no DNA que haverá de dar origem a um feto, está contido informações para se ter olhos tanto castanhos, como azuis, como verdes. Assim, toda a variedade de ser humano possível já fará parte do DNA daquele novo ser vivo. Isto explica por que netos podem ter a mesma cor dos olhos de um avô ou tataravô. O que a hereditariedade faz é apenas somar as características dos pais à nova criança.

      De modo que todas as mudanças tanto em homens quanto animais, provém de algo que já existe no DNA de cada criatura. Esta é a chamada microevolução.

      Agora, no DNA de homens, não há informações sobre escamas, ou cascos, ou penas, mas apenas toda sorte de código para gerar seres humanos com as mais diversas características.

      E o ser humano continua sendo humano, asiático, africano, americano, o que muda são traços físicos, cor da pele, que permitem-no se adaptar melhor à mudanças de clima e condições no planeta.

      De forma que estas adaptações são naturais e não resultados de acidentes com o DNA.

      E para a irmã ver que realmente não tem cabido o evolucionismo nas mais recentes descobertas, que descobriram um fóssil de mamífero contendo tecidos moles. A presença de tecidos moles indicam que o animal não teria milhões de anos, mas, no máximo alguns milhares de anos.

      http://www.criacionismo.com.br/2015/10/fossil-de-mamifero-apresenta-tecidos.html

      Agora, para entender como se data os fósseis atualmente, devemos entender de que não é possível datar um fóssil que tenha centenas de milhares de anos, nem mesmo pelo carbono 14.

      A datação é feita por meio dos minérios geológicos que envolvem o fóssil. Os cientistas desenvolveram uma tabela contendo períodos da geologia, que nos diz cada camada de sedimento teria surgido. Assim, o que, de-fato se data são os sedimentos onde se encontra os fósseis e não os fósseis propriamente dito.

      Fósseis pequenos não podem ser datados pelo carbono 14 que exige destruição de boa parte do material apenas para se fazer o teste.

      (...)

      Excluir
    2. Agora veja que interessante:

      Biblicamente, a terra passou por um dilúvio, onde se romperam as fontes debaixo da terra e a água que se encontrava por baixo foi toda jogada para cima. Todas as camadas da terra foram revolvidas, a Pangea, o continente único que existia neste planeta se separou, surgindo os continentes. E os eventos foram tão fortes que possibilitaram o surgimento das cordilheiras.

      Acredita-se que os dinossauros pereceram neste evento, onde foram soterrados de forma rápida pelos sedmentos revolvidos.

      A única possibilidade de se explicar a existência de fósseis conservados, é por meio de um rápido soterramento, senão, nos milhares de anos que demoraria para surgirem as camadas da terra, seus ossos antes vivariam pó, seriam remexidos ou destruídos por outros animais e de forma alguma se conservaria. Também a vegetação que ali cresceria, assimilaria os fósseis e, de forma alguma, os encontraríamos da forma como os encontramos atualmente.

      E o petróleo, irmã, é resultado de um acúmulo orgânico. Mas não há como detritos orgânicos se acumularem a grandes profundidades sem haver algo que revolva a terra e os jogue para baixo de toneladas de sedimentos.

      Assim, irmã, tendo havido um dilúvio, o sistema de datação de fósseis por meio das eras geológicas se torna inválido.

      Isto porque, de fato, o planeta, com seus minerais, existe desde antes do surgimento de vida na terra.

      Agora veja que interessante, não há achados de espécies que se situem entre o hoje e os supostos milhões de anos quando existiam os dinossauros. Todo fóssil que se encontra, são de animais que já existem, ou são de dinossauros. Não encontramos nenhuma legião de criaturas que se desenvolveram desde os dinossauros até os animais de hoje. É como se nunca este período, de fato, houvesse existido.

      A lógica, portanto, supõe que não houve um tempo intermediário de evolução das espécies entre os dinossauros até os animais de hoje. De modo que devemos simplesmente cortar este período e aceitar que, de fato, não existiu.

      Assim, o tempo de existência dos dinossauros se encontra muito próximo ao da existência da mais antiga civilização humana encontrada. Ou seja, em toda a história humana, sempre existiram os animais que hoje ainda existem mais os dinossauros. Não houveram nenhuma leva de outros animais além destes.

      O que encontramos de espécies supostamente desconhecidas, são apenas espécies extintas, e que não possuem 32 milhões de anos, mas apenas alguns milhares, como outras espécies que se extinguiram nestes milênios mais próximos de nossa época. A presença de tecidos moles em um achado, nos mostra isto.

      Outra coisa muito interessante:

      Assim como relatos do Éden, encontramos em várias partes, narrativas acerca de um dilúvio, alguns monumentos encontrados, por exemplo, nos mostram preocupação de civilizações para com a possibilidade de um dilúvio. A própria torre de Babel, relatada na Bíblia e cujos restos já foram encontrados, demonstrava, na sua altura, a determinação humana de sobreviver, caso a terra fosse novamente acometida por um dilúvio.

      Assim, os achados arqueológicos se entrelaçam com a Bíblia e mostram que tudo que se encontra de histórias, que rementem a eventos bíblicos, parecem muito mais reais do que se supõe.

      Um abraço.

      Excluir
  4. O irmão tocou no ponto principal.
    Qualquer mutação no quadro biológico traz uma degradação.

    Como os seres iriam evoluir para algo super inteligente.

    A aceitação dessa linha de pensamento tem como porto seguro o FIDEÍSMO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, irmão Gênes, mutação é resultado de um dano à estrutura biológica de um ser vivo, enquanto em desenvolvimento. Ela vai contra qualquer tipo de evolução pois provoca uma involução, na forma de degradação no novo ser vivo que está a se desenvolver. O efeito da mutação, quando em grau acentuado, implica em diminuição do tempo de vida de tal ser vivo, ou na sua incapacitação, até mesmo para procriar. Também provoca anomalias como a ausência ou duplicação de membros.

      Como sabemos, acidentes nunca geram ordem, este é um conceito amplo. Acidentes, apenas desorganizam algo que está organizado e assim também ocorre no processo de mutação, que desorganiza algo que está organizado, não contribuindo em nada para uma melhor organização. Até porque o processo de mutação não cria nem incrementa novas informações no DNA. Não há, realmente, meio acidental de se fazer isto. Em termos chulos, assim como acidentes nunca aumentam a quantidade de peças de um carro, também não aumentam a quantidade de informações de um DNA, mas apenas danifica as informações que ali existem.

      Um abraço.

      Excluir
  5. Bem, vou estudar o assunto das mutações, quando tiver vagar. A conversa foi interessante. Boa tarde, sr. adventista.

    ResponderExcluir