sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Réplica - Alberto Timm: ‘A Igreja Adventista já foi sectária’



Pois é amigo Luciano Sena, o amigo continua a misturar a igreja enquanto pessoas, com seu corpo doutrinário oficial.

O fato de a Igreja Ter surgido em um período de "ampla apostasia" da igreja protestante e muitos integrantes do movimento adventista terem levado as tendências resultantes desta apostasia para dentro da igreja adventista, não indica que oficialmente a igreja surgiu pregando ou apoiando tal atitude.

Pelo contrário, as doutrinas fundamentais estavam muito bem estabelecidas.


A opção de dar às doutrinas distintivas, uma ênfase maior do que as DEMAIS DOUTRINAS FUNDAMENTAIS ADVENTISTAS COMO A TRINDADE E A SALVAÇÃO PELA GRAÇA. Pode ser enquadrada nos sentido da atitude de indivíduos e não nas DOUTRINAS OFICIAIS DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA!

Deste modo a IASD poderia ter uma TENDÊNCIA sectária enquanto pessoa, mas não enquanto instituição e seu corpo de doutrinas.

Ao dizer que os adventistas "requilibraram os elementos distintivos da fé adventista com os componentes básicos da fé evangélica" equivale a dizer que os adventistas reequilibraram tais elementos distintivos com o próprio corpo de doutrinas fundamentais oficiais da igreja que desde que foi fundava sempre pregou a doutrina da TRINDADE e da SALVAÇÃO PELA FÉ, embora enquanto INDIVÍDUOS, muitos ainda ignoravam e preferiam dar mais ênfase às doutrinas distintivas.

Agora veja, de 1863 a 1888 esta tendência foi combatida, PELA PRÓPRIA IGREJA, e enfim deixou de ser apelativa. Ou seja, em prazo de 25 anos este problema foi definitivamente resolvido.

E isto é um trabalho que deriva da própria IGREJA através de suas DOUTRINAS FUNDAMENTAIS.

http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2012/12/igreja-adventista-do-setimo-dia-crencas.html

Isto mostra que a IASD desde que foi criada, não é guidada pela TENDÊNCIA de seus membros, pelo contrário! Os membros é que são guidados pela IASD enquanto instituição contendo um corpo oficial de doutrinas.

A própria eficácia em reestruturar a fé de seus membros enquanto PESSOAS, demonstra o quanto a igreja sempre foi correta na defesa dos princípios fundamentais bíblicos previamente estabelecidos.

A igreja enquanto instituição é composta pelo seu corpo de doutrinas fundamentais e não pelas tendências e opiniões particulares de seus membros!

Se por um lado haviam o que Alberto Timm relata como "muitos" que deixavam de lado componentes básicos da fé evangélica em prol de algumas de nossas doutrinas deistintivas, haviam outros, que EM HARMONIA COM NOSSAS DOUTRINAS FUNDAMENTAIS, NÃO procediam desta forma, pelo contrário!

Por parte DESTES apoiados em suas DOUTRINAS FUNDAMENTAIS é que os indivíduos com tendências sectárias, abandonaram suas antigas pregações e se reequilibraram não apenas com a fé evangélica, mas com as próprias doutrinas fundamentais pregadas por sua igreja que repito, desde sua fundação já IMPUNHA a crença na trindade e salvação pela fé.

Deste modo a IASD enquanto instituição contendo seu corpo de doutrinas oficiais, não tem responsabilidade nem quanto à atitude de adventistas ANTES e nem DEPOIS  da criação da Igreja.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia, enquanto instituição, jamais apoiou as atitudes de membros que atentavam contra suas doutrinas fundamentais.

Uma igreja remanescente, verdadeira, surgindo no meio cristão apostatado, com pessoas apostatadas.

Reeducando seus membros através do conhecimento!

Seria muito estranho se após a instituição da IASD, os membros automaticamente passassem a obedecer suas doutrinas oficiais cegamente! Deixando de um dia para a noite, seus enganos, tendências, e tudo aquilo que construiu através dos anos, cada um no meio religioso que frequentou.

O que percebemos é que a atitude dos membros não dirigiram a igreja, pelo contrario, ao passo de pouco tempo, seus membros se harmonizaram com as doutrinas fundamentais. No assunto que estamos tratando, 25 anos.

E tem sido assim desde sempre, ainda hoje, doutrinas contrárias à nossas crenças fundamentais não conseguem se instalar em nossas igrejas.

Após o estabelecimento de nossa igreja a Adventista do Sétimo Dia, aquele povo ainda passou por um período de reeducação.

Tratavam-se de pessoas que aceitaram fazer parte de nossa igreja, mas não haviam ainda aceito PLENAMENTE quilo que reza nossas DOUTRINAS.

Assim alguns tão somente pregavam aquilo que consideravam correto, mesmo que deixando de lado, pontos importantes e que também faziam parte de nossa fé em prol de doutrinas distintivas.

Portanto devemos analisar devidamente o contexto, para ver se a atitude de tais membros ERAM ou NÃO apoiados pela igreja.

E pelo que vemos tanto na história do adventismo como nos livros de Ellen White, tais práticas não apenas eram desapoiadas como eram combatidas.

E porfim vemos que a igreja não seguiu os passos individuais da crenças de grupos que haviam dentro da igreja, pelo contrário, tais grupos é que acabaram se voltando para nossas doutrinas e se harmonizando com aquilo que a IASD prega enquanto instituição.

Portanto, mais uma vez, Alberto Tim, não é dono desta citação de que 'A Igreja Adventista já foi sectária'.


Veja a outra afirmação de Alberto Timm:

"À semelhança de outros movimentos religiosos, OS ADVENTISTAS do sétimo dia surgiram com características sectárias. "

Ou seja, Alberto Timm se refere à pessoas e não à igreja enquanto seu corpo de doutrinas oficiais.

Pessoas com "características sectárias".

Características próprias da PESSOA e não da IGREJA, enquanto instituição.

Que características eram estas? Ora alguns não criam de fato na trindade e outros não davam muita ênfase na salvação pela fé, mesmo conhecendo e tendo aceito nosso corpo de doutrinas oficiais.

Significa que muitos anti-trinitarianos fizeram realmente parte da IASD, mesmo conhecendo que oficialmente a IASD em sua fundação e em seu corpo de doutrinas fundamentais, defende plenamente a doutrina da trindade.

Alguns que não davam tanta ênfase na salvação pela graça, também decidiram fazer parte da IASD. Nisto davam mais ênfase às doutrinas distintivas, ignorando demais doutrinas  muitas vezes aquelas contrárias à suas crenças pessoais.

Então perguntamos o que anti-trinitarianos e pessoas que não davam muita ênfase na salvação pela graça estariam fazendo dentro de uma igreja que sempre pregou oficialmente o trinitarianismo e a salvação pela graça?

A resposta era simples, estavam movidos pela novidade de nossas doutrinas distintivas, que não existiam em suas antigas religiões!

Movidos pelo novo, ignoraram outras doutrinas, que sabiam serem-lhes contrárias à sua fé!

Por outro lado haviam ainda, aqueles que criam e aceitavam todos os pontos de nossas doutrinas fundamentais e mesmo assim, atendiam mais à novidade das doutrinas recém descobertas, deixando de lado a pregação das demais doutrinas, compartilhadas pelo meio evangélico.

Esta TENDÊNCIA de dar mais ênfase às doutrinas distintivas, deixando de lado as demais doutrinas também importantes e essenciais é que era visto como uma tendência sectária.

Isto foi solucionado quando membros com esta tendência foram convencido não apenas a ACEITAR, como também a pregar as doutrinas a que antes não julgavam ter muita importância de serem aceitas ou pregadas.

Ou seja, ao passo de 25 anos anti-trinitarianos se tornaram trinitarianos e pessoas que antes não davam muita ênfase na salvação pela graça, passaram a pregar a salvação pela graça.

E o que tem de mais nisto?

Se a igreja houvesse se achegado aos membros exigindo que abandonassem a crença na trindade e da salvação pela graça, aí sim poderíamos dizer que a igreja Adventista em algum período teria sido sectária.

Porém, justamente pelo contrário, a igreja sempre pregou a trindade e a salvação pela graça como doutrinas fundamentais e reeducou seus membros a aceitarem estas verdades.

Portanto a IASD sempre foi uma bênçãos na vida de seus membros, trazendo pessoas, envoltas no engano, de volta às verdades bíblicas.

Esta é a especialidade da Igreja Remanescente.

E não teríamos motivos para acreditar em tal coisa, se não houvéssemos visto isto ocorrer com anteriormente com um povo millerita e mais tarde com seus próprios membros.

Ou seja, a IASD é a Igreja Remanescente, justamente porque é eficaz em trazer não apenas um povo envolto na apostasia de volta às verdades Bíblicas como em educar, entre os seus, aqueles que se desviam destas verdades.

Um exemplo deste trabalho da igreja remanescente:

O próprio povo de Israel, que mesmo tendo aceito a Deus ainda tiveram que passar por um longo período de reeducação, e olha que foi um período tão longo que nem poderíamos comparar aos 25 anos que, através da IASD, Deus levou para reeducar seus próprios membros, pois ali definitivamente haviam pessoas sinceras.

Então temos de nosso amigo Luciano Sena, novamente, um conceito errôneo de que a Igreja Remanescente deva nascer pronta e santificada, perfeita em seus caminhos, enquanto que quando olhamos para a Bíblia e a própria história, todo o povo em que Deus atuou teve que passar por um período de conscientização, reeducação e aprendizagem.

E mesmo nos tempos modernos não poderia ser diferente, porque os adventistas enquanto pessoas provieram de um meio religioso apostatado, onde pediam por um reavivamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário