quinta-feira, 20 de outubro de 2016

A entrada do pecado no mundo

Claro, por que não?! "3-Responda isso: Mas deus n é todo poderoso? Então ele é onipotente, sendo onipotente então, ele saberia oq aconteceria se nos criasse, então responda: Pq deus nos criou sabendo q ia dar merda? Quero uma resposta comprovada, e se vc negar... Bem... Vai apenas provar q n tem argumentos" A resposta está no caráter de Deus. Veja, o homem ao saber do futuro de coisas ruim que vão acontecer, a tendência é dar um passo atrás e tentar evitar o problema ao invés de enfrentá-lo. A questão é que sendo Deus, não pode temer coisa alguma, não pode dar um pessoa atrás. O mínimo recuo, denotaria uma fraqueza de Deus, diante de suas criaturas. Não que Deus não possa evitar o mal, de fato recuar em uma intenção, como o fez na Bíblia, quando levantou sua mão de destruir a Nínive pelo mal que faziam a toda a terra. E a questão começou com a criação dos anjos e todas as criaturas que possuem livre abítrio, guarde esta expressão, livre arbítrio. Deus já havia visto de que as suas criaturas poderem pecar, por não serem naturalmente santos, mas propenso à descrença e fraquezas provinda de sua própria natureza que não é divina. Deus então tinha apenas duas opções: 1) Criar seres com livre arbítrio, correndo o risco da entrada do pecado no mundo; 2) Deixar de criar estes seres, ou criá-los sem livre arbítrio. Deus não se sentiria satisfeito com seres sem vontade própria, máquinas. Deus não precisa de máquinas, ele tem tudo, é tudo, cria tudo, não é como nós, limitados e dependentes. Mas Deus decidiu assumir o risco e o pecado entrou no mundo por meio de Lúcifer. Quando o pecado entrou no mundo, já não havia mais nenhuma segurança e todos os mundos estavam sujeitos ás tentações. O único meio de evitar o pecado de se alastrar seria Deus não mais criar coisa alguma, sendo impedido pela própria existência do pecado no universo. Deus poderia ter destruído Satanás mas isto não resolveria, porque as semente de lúcifer estava implantada no coração dos seres que Deus criou. A terça parte sucumbiu aos interesses de Lúcifer e a parte que não sucumbiu foi deixada com grande dúvida. Veja que discussão, dúvidas ecoaram pelo universo. Ninguém havia tido contato com problemas deste tipo. Ninguém sabia qual seria o meio correto de lidar com esta situação. Satanás ainda parecia ser apenas um anjo insatisfeito com o governo de Deus e que estaria lutando por melhorias benéficas aos anjos, que servem a Deus. A situação chegou em um impasse, sem aparente solução. Tendo o pecado entrado no mundo, o que era possibilidade se tornou em algo real, em fato, de modo que qualquer mundo que fosse, então, criado, já nasceria em um universo que convivia com o pecado, ainda latente. Quando Deus pensou na criação do homem, de um novo mundo, imediatamente viu que suas criaturas iriam cair. Um ser humano na posição de Deus poderia decidir tão somente não criar tais criaturas, mas não é assim que funciona com Deus. Ao idealizar a Criação do homem é como se Deus já houvesse acompanhado durante toda a história humana, o nascimento de cada pessoa, visto as dificuldades que passariam, a dor e nisto, Deus já criou um amor muito maior do que de mãe por estas criaturas que ainda nem existiam. A Bíblia não diz que Deus tem apenas amor, a Bíblia diz que Deus é amor. Foi por contemplar o sofrimento do Pai, que Cristo decidiu se tornar a ovelha que haveria de ser sacrificada, de modo que Deus poderia, então, dar prosseguimento à criação da humanidade, não os deixando a esmo, mas traçando o plano da salvação. A Bíblia diz que Cristo é o cordeio que foi morto desde o princípio. Já planejando o resgate das criaturas que Ele haveria de Criar, deu início também ao processo que resolveria o problema da entrada do pecado no mundo e seria por meio das criaturas humanas e de nosso mundo, que os anjos poderiam entender a diferença entre o bem e o mal e mais do que isto, a extensão do amor de Deus pelas Suas criaturas ao qual os próprios anjos estavam sujeitos. Quando Satanás matou a Jesus na Cruz, ficou evidente o Seu caráter. Desde o céu, o Filho de Deus já batalhava contra Lúcifer, até que o expulsou do céu. Mito mais do que uma batalha pelos supostos interesses dos anjos, esta batalha foi uma disputa pelo trono entre os anjos. Por ser o anjo mais poderoso e mais respeitado, julgava oculto em seu coração ter direito a disputar o trono com Cristo. Satanás sentiu-se injustiçado, mesmo sabendo que Cristo tinha plenos direitos por ser Divino e o Criador dos anjos. Deus permitiu a disputa entre Jesus, com nome de Miguel e Satanás, no que Satanás foi vencido e expulso do céu, por Cristo e seus anjos. Porém, nenhum anjo tinha ainda identificado que o real interesse de Lúcifer era no trono de Deus filho, entre os anjos. Satanás se apresentava como alguém tentando defender os direitos e uma maior liberdade aos anjos. Quando porém, Satanás, não apenas à morte, mas de forma covarde, levou o Filho de Deus à tortura e humilhação, ficou evidente o caráter e real interesse de satanás, que era tomar o trono que foi dado ao Filho de Deus. E Satanás teria triunfado, se, Cristo não houvesse ressuscitado. Nisto, Cristo recuperou o único mundo que sucumbiu aos ardis de Satanás. Se Deus houvesse decidido trazer o julgamento, antes da morte de Cristo, este nosso mundo haveria de ser condenado, junto com satanás e seus anjos. E mesmo assim, a dúvida sobre o caráter de Deus e de Satanás, não haveria resolvido. Agora, o próprio céu, todos os anjos que ali se conservaram, bem como toda criatura e os mundos, incluindo a terra, agora são capazes de entender a diferença de caráter, entender o quão terrível é o pecado e o porque é algo que deve ser extirpado da existência, para nunca mais voltar a existir. Em resumo: Deus decidiu enfrentar as consequências de criar seres não divinos com livre arbítrio. Este era o preço deste o princípio, para se criar pessoas que pudessem amá-lo verdadeiramente. Deus, decidiu isto à opção de não fazer surgir nenhuma criatura com livre arbitrio. E Deus tomou as dores junto conosco, sendo também caluniado, difamado, atacado. Tendo que se revestir entre os anjos e por fim encarnar como humano e partilhar das mesmas dores e misérias. Demonstrando o seu profundo amor por suas criaturas e a grande capacidade de amar, desde o princípio, mesmo antes de trazer à realizado suas criaturas. Por isto Deus diz na Bíblia, falando aos seres humanos "Com eterno amor te amei". O amor de Deus por suas criaturas é infinito, muito mais do que o amor de uma mãe. Mas além do amor, Deus tem que lidar com a justiça e a ordem. E a justiça impunha separação entre os santos de Deus que resistiram a tentação e não caíram em pecado, dos que sucumbiram à tentação e se aliaram a Satanás em rebelião contra Deus. A Bíblia diz que, no céu, o tempo tratará de fazer nos esquecer de tudo de mal que passamos aqui nesta terra. Isto porém, não se aplica a Deus, que não pode esquecer. Isto está simbolizado nas marcas contidas nas mãos de Jesus e que permanecerá para sempre. Bem como no próprio Jesus, que nunca mais deixará de ser humano, ainda que conserve em si, habitada, toda a plenitude da divindade. O preço pago foi muito alto irmão. Deus foi o que pagou o maior preço por nossas escolhas. Também sofremos muito, mas pelo privilégio de existirmos e termos a possibilidade de vivermos eternamente. O preço do pecado é grande e doloroso, mas a recompensa também. E Deus nos dá, a cada um, a possibilidade de escolha (Deuteronômio 30:19). Deus não fugiu de Suas responsabilidades e o que colhemos são consequências do próprio mal que causamos a nós mesmo neste mundo. Não fosse assim, a única dor que enfrentaríamos seria a morte, seguida de um sono inconsciente na sepultura vindo então a ressurreição. Mesmo a vida nesta terra, não seria sofrível como é, se o homem se conservasse nos caminho de Deus e aceitando Sua proteção. É isto que Deus mostrou, tentando mudar o pescoço duro da nação de Israel, o que estava reservado para nós, caso a humanidade, não o renegasse. Cristo, irmão, grave isto, não teria que sofrer daquela forma, totalmente desnecessária. Mas a maldade humana que continuava latente é que levou aqueles homens a fazer com Cristo, aquilo que faziam a si mesmos. E toda esta maldade ocorreu e continua ocorrendo porque Satanás influencia este mundo, para que os filho de Deus, jamais andem em seus caminhos, debaixo de sua proteção, livres do mal e do sofrimento. A batalha continua intensa, irmão e continuamos sofrendo porque não colocamos Deus para batalhar em nosso lugar, como o Anjo do Senhor fazia nas batalhas de Israel. E recebiam pão do céu, água fresca da fonte das pedras, terra que emanava leite e mel e poderiam viver ali em paz para sempre. O que não ocorreu, porque o homem buscou novamente o mundo, sofrendo as consequências de sair das mãos de Deus e serem levados por Satanás ao prazer na violência, riquezas humanas e prazeres de toda sorte. Mesmo tendo Deus dado tudo, para a carne humana atraída pelo pecado, tudo isto se torna pouco. É por isto que não conseguimos nos livrar de nossa própria miséria. A única esperança é Cristo, irmão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário