terça-feira, 25 de outubro de 2016

O princípio do pastoreio

Olá irmão Rodrigo, o trabalho de pastoreio, exercido pelos Mestres e ensinadores da lei, Rabi, o qual Jesus era um deles, o qual é nosso bom pastor, procede desde quando a Bíblia precisou ser ensinada. O pastoreio surgiu com a Bíblia e era exercido em cada sinagoga, onde Cristo também se levantava a ler e a ensinar (Lucas 4:16, Lucas 6:6). Leia Efésios 4:11, irmão. Leia também Atos 15:21. Pastor é aquele que guia as ovelhas. Todo pastor é lobo devorador? Cristo não era, Paulo não era, Pedro não era e todos eles guiavam as ovelhas do rebanho de Cristo. Leia Hebreus 13:17. Os cães gulosos, profetizados, estão em Isaías 28:7-8. As reclamações destes estão contidas nos versos 9 e 10. Leia 1 Timóteo 3, especialmente os versos 3 e 4. O verso 8 nos esclarece dos riscos, mas nem por isto Paulo manda suspender os trabalhos de pastor, bispo, diácono e os demais, pelo contrário, recomenda que estes existam, sejam postos em suas funções, mas que sejam honestos. O Dízimo é para a pregação do evangelho. Uma pessoa recebe o dízimo para pregar o evangelho integralmente. E evangelho é Bíblia. Biblicamente, o pastoreio, o bispado, o diaconato, são perfeitamente atendidos pelo dízimo, segundo Hebreus 7:9 em conjunto com 1 Coríntios 9:13,14 e apoio em Mateus 23:23, onde foi ensinado a não se omitir o dízimo. O problema não é o pastorado, mas o mau pastorado. É o pastor receber o dízimo mas fazer de tudo, menos pregar o evangelho e ensinar a Bíblia. As igrejas que se tem abrido em todo canto hoje estão muito longe do que era na época de Cristo e apostólica. Esta não é a propagação do evangelho. Propagação do evangelho não é abertura e propagação de mais e mais igrejas, mas sim, pregação da Palavra. E nessas igrejas o que não se vê é a pregação do evangelho, vemos falar línguas estranhas, cair no espírito, expulsão de demônios, teologia da prosperidade e um monte de outras praticas não ensinadas na Bíblia. Enquanto que aquilo que Jesus fazia, lendo e ensinando a Palavra de Deus na sinagoga, é deixado de lado. Paulo, viveu aos pés de um grande mestre, onde estudou a Bíblia desde criança, era doutor, profundo entendido, não apenas de Bíblia, mas de vários assuntos. E usou todo seu potencial para ensinar a Bíblia, tudo que Paulo desenvolveu foi por meio do entendimento da Bíblia e a inspiração de Deus. É deste tipo de pastor que precisamos nos dias de hoje. Paulo orientava várias igrejas, ensinando um mesmo evangelho junto com Pedro e demais apóstolos. Hoje, cada pastor é dono de sua própria igreja. Na IASD, porém, a coisa é bem diferente. A igreja não pertence ao pastor, ele não fica com o dízimo que é todo investido para pagar aqueles que trabalham na pregação do evangelho. Todo pastor tem que fazer curso de teologia pra começar a exercer o trabalho, mas tem que fazer mestrado a fim de escrever livros com oficial apoio da igreja, e doutorado se quiser assumir um cargo maior dentro da igreja. E o salário tem teto, o pastor é assalariado. E não tem conversa, qualquer irregularidade, é destituído do cargo. Pastor nem coloca a mão no dinheiro do dízimo que ficar a cargo de um tesoureiro. Todo dízimo entregue recebe comprovante e ao final do ano é feito uma prestação de conta de onde cada centavo foi gasto. Quantos materiais foram produzidos e distribuídos, quantas igrejas foram construídas, quantas pessoas receberam estudos e foram batizadas. Quanto foi destinado à ADRA e outras obras de assistências de irmãos em todo o mundo. Quanto foi destinado aos departamentos de apoio aos membros, como o da mulher, da família. Irmãos, não moram na rua, não passam necessidade de roupas nem de alimento. A igreja investe profundamente em planejamento. Se preocupa com a saúde dos membros até no que comem. O bem estar dos membros, hoje é visível, na longevidade do povo adventista e prosperidade em cidades como San Martin e Loma Linda, isto é, para quem segue os conselhos e recomendações da igreja. https://www.youtube.com/watch?v=aRpt5TWJlDg https://www.youtube.com/results?search_query=loma+linda A igreja também deve se preocupar com o bem estar dos membros e suas necessidades. De modo que o dízimo é para a continuação da pregação do evangelho também aos membros. Cristo passou mais tempo curando do que pregando, em Seu ministério aqui na terra e a pregação do evangelho não pode se desvincular disto. O corpo de Cristo, a igreja, deve ser saudável e disposta, isto influi bastante na pregação do evangelho. O que não vemos em igrejas que não se preocupam com a qualidade de vida de seus membros. Assim, devemos escolher bem a igreja onde vamos investir, saber como cuida de seus membros, como levam o evangelho aos de fora da igreja e se ali se ensina, de fato a Bíblia, ou se gastam todo o tempo com manifestações excêntricas. Um abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário