terça-feira, 22 de setembro de 2015

Introdução - Qual é o selo de Deus?

O que é um Selo?
R: Uma marca de propriedade.

Após ter acabado a obra da Criação, Deus colocou um selo de senhorio sobre tudo o que foi criado (Mateus12:8, João 1:1-3). O planeta foi dado ao homem, porém a autoria foi reservada à Deus através de uma marca de propriedade, o sábado.

Conquanto Adão guardasse o sábado estaria reconhecendo, por toda a eternidade, quem de fato era o criador de todas as coisas que lhes foram dadas, inclusive o descanso no sétimo dia.

Mais do que uma marca de propriedade, o sábado serviria como um dia de santificação (Gênesis 2:3, Êxodo 31:13).

Isto nos lembra de que embora o homem tenha o governo do mundo, deveria reconhecer de que Deus é o criador de fato de todas as coisas e, por isto, jamais deveria, o homem, se levantar contra o seu próprio criador.

O sábado nos lembra, portanto, Quem é verdadeiramente digno de homenagens, o próprio bem-feitor através Do qual todas as coisas foram feitas, Cristo Jesus (João 1:3).

Assim o homem reconheceria que acima de seu próprio governo há um governo maior, de onde procede todas as coisas, debaixo do qual toda criatura deve estar submissa.

O sábado nos lembra de que as Criaturas devem dirigir seus olhos antes para o Criador do que para si mesmo, prestar antes honras e homenagem a quem os criou do que a si mesmos ou a outrem.

E o sábado tomará esta perfeição de simbolismo nos eventos finais da humanidade, quando então, cada ser humano será colocado diante de um dilema entre obedecer e assim adorar em gratidão a Deus, ou obedecer e assim adorar em gratidão ao homem.

Biblicamente 7 é o número qualitativo da perfeição, e representa todas as obras de Deus. 666 é um número que representa o homem que tenta se colocar no lugar de Deus.

De modo que enquanto Deus possui a Sua marca de propriedade, o homem também tem a sua própria marca de propriedade.

O problema porém, é quando o homem tenta colocar a sua marca de propriedade sobre a marca de propriedade de Deus e quando isto ocorre, não mais a Deus pela criação, mas o próprio homem, por suas bem-feitorias é colocado como o verdadeiro merecedor de honras e homenagens.


Este selo foi incluído de forma explícita, formalizada, evidente e repetidas vezes lembrado ao povo, através do 4º mandamento da Lei de Deus (Êxodo 20:8-11).

E os motivos pelo qual devemos conservar esta marca de propriedade, geração após geração, foi dado junto com o mandamento:

"Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou." (Êxodo 20:11)



Nenhum comentário:

Postar um comentário