domingo, 30 de novembro de 2014

O sábado persistiu desde o Éden?

+Seguidor da Palavra Também não á registro querido irmão, de que o sábado tenha perdido a função inicial pelo qual foi designado! Veja, se algo é instituído, permanece ate que se revogue. Em se tratando de uma instituição divina, ainda mais razões temos para NÃO CRER de que o sábado dado no Gênesis tenha sido revogado ao homem.

O homem saiu do Éden mas continuou tendo todas as coisas que foram criadas, água, animais, plantas, nenhuma destas coisas foram negadas.

A Bíblia não trabalha com vãs repetições, uma vez Deus tendo instituído um dia sagrado, este permanece para todo o sempre.

Veja, se não houvesse o relato do gênesis acerca da criação do sábado, eu teria que lhe dar razão, porém, o relato do gênesis revoga qualquer possibilidade de o sábado ser algo dado tão somente a Israel, após a libertação do povo do Egito.

O sábado foi dado a Adão e Eva querido amigo. Daí se guardaram ou não já é outro assunto.

Portanto, se o irmão reconhecer de que o sábado NÃO foi algo que passou a existir tão somente quado Deus libertou o povo do Egito, estará sendo honesto com as escrituras!

A instituição de um dia de descanso foi feita, se os descendentes de Adão e Eva guardaram ou não, isto não revoga de que tal dia de descanso existia. Veja que não é como se o sábado houvesse sido criado e automaticamente revogado após a entrada do pecado no mundo, as escrituras não apontam para esta direção.

Então não podemos REVOGAR um dia divinamente instituído sendo que não há na Bíblia indicação para tal!

Perceba então querido amigo, que a sua ideia é que está indo contra as escrituras. Invalidando um dia de descanso divinamente instituído sem uma boa razão para tal! E veja, a ausência de citações sobre a guarda do sábado após a queda do homem não serve de justificativa, porque do mesmo a constância de citações sobre a invalidação do dia divinamente instituído, também não existe.

Sendo que o Sábado foi instituído no Gênesis e não há relato acerca da mudança da condição deste dia, devemos crer que permaneceu.

Veja, houve uma ação de criar o sábado então o sábado passou a existir! Sendo que a bíblia não relata nenhuma outra ação que venha a revogar este dia, por que deveríamos crer de que este dia foi revogado ao invés de permanecer?

Portanto a razão nos coloca a favor de que, quanto ao sábado, nada foi mudado, desde sua instituição, porque a bíblia não diz algo acerca deste assunto e se a bíblia não revoga algo que nela mesma é instituído, significa que aquilo permanece!

Quanto à atitudes do ser humano diante daquilo que foi Divinamente instituído, isto é o de menos! Não é o fato de o homem obedecer ou não a algo que Deus instituiu que irá validar ou invalidar tal instituição.

Mesmo que o homem tenha se esquecido do sábado com o passar do tempo, assim como esqueceram do próprio Deus Criador, isto não indica que nem o sábado nem o Criador deixaram de existir!

E esta é a tênue ligação entre o Sábado e o Criador. Se a humanidade houvesse prosseguido em conservar a instituição do sábado tradicionalmente, jamais teriam se esquecido do verdadeiro Deus e porque ELE é o verdadeiro Deus:

"Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou." Êxodo 20:11

No contesto do pecado, o sábado seria uma eterna vacina para o homem não se esquecer do SEU Criador e que criou também todas as coisas que há neste mundo.

E o sábado não é citado, porque antes de Israel, não houve nação eleita! Deus elegeu um homem, Abraão! No qual a Bíblia diz:

Porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos, e as minhas leis. Gênesis 26:5

Devemos crer de que os filhos de Adão e Eva, que não se desviaram como Caim, obedeceram aqueles mesmíssimos mandamentos que futuramente seriam obedecidos por Abraão, guardando inclusive o sábado na companhia de seus pais e irmãos.

Neste mesmo tempo os descendentes de Adão e Eva, que não se desviaram, uniram-se com as filhas descendentes de Caim e logo em seguida, o mundo se encontrou na situação que estava, quando então Noé construiu a Arca.

Veja, a bíblia relata de que após a união os filhos de Deus (descendentes justos de Adão e Eva) com as filhas dos homens (descendentes de Caim), a humanidade caiu na perversidade!

Significa querido irmão que o relato entre a queda do homem e o dilúvio é muito curto! O tempo propício para a citação da guarda do sábado, seria entre Caim assassinar Abel e os descendentes justos de Adão e Eva se unirem aos descendentes ímpios de caim!

Caso a humanidade ímpia surgida desta união, houvesse se arrependido, poderíamos ver o sábado sendo exigido daquele povo, mas isto não ocorreu!

A Bíblia não diz que os descendentes justos de Adão guardavam os mesmos mandamentos futuramente guardados por Abraão, onde poderíamos incluir ali o sábado, mas devemos crer que sim, porque a bíblia os toma como Filhos de Deus. Do mesmo modo, a Bíblia não diz que os descendentes ímpios de Caim guardavam tais mandamentos, mas devemos crer que não!

Particularmente creio que os filhos justos de Adão assim eram chamados de Filhos de Deus, porque continuavam a manter comunhão com o Criador, como Abel fazia e como Caim fazia antes de matar Abel, quando costumavam fazer oferendas a Deus.

Esta relação de encontro com Deus e ofertas de holocausto, nos mostram de que Deus continuava a ter um certo relacionamento com os filhos de Adão, que inclusive ouviam ainda a voz de Deus.

Esta proximidade com Deus nos leva a acreditar na natural continuidade do sábado conforme Adão e Eva se acostumaram no Éden e se perpetuou na descendência justa de Adão, até que esta geração justa se uniu à descendência ímpia de Caim.

Recomendo mais uma vez que o querido irmão leia as antigas escrituras, perceberá de que não há razões para cremos de que o Dia divinamente instituído no Éden tenha perdido sua validade após a entrada do pecado no mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário