segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Mudança do sábado para o domingo em fontes católicas

O irmão não sabe o que está dizendo! Não citei "achismos", mas documentos Católicos Apóstólicos Romanos!

Quanto a este preconceito quanto ao adventismo, aconselho ao irmão que leia a obra intitulada "Do sábado para domingo" de Samuelle Bacchiocchi, tese defendida na pontifícia universidade:
"Dr. Samuele Bacchiocchi (1938-2008) foi o primeiro não-católico a se formar na Pontifical Gregorian University, em Roma, tendo recebido uma medalha de ouro do Papa Paulo VI por conquistar a distinção acadêmica summa cum laude por sua tese: Do Sábado Para o Domingo: Uma investigação histórica do surgimento da observância do domingo no cristianismo primitivo.

Nesse trabalho, Bacchiocchi, um adventista do sétimo dia, mostrou que não há nenhuma ordem escriturística para mudar ou eliminar a guarda do sábado e apontou o papel  preponderante da Igreja Católica na efetivação dessa mudança. O professor indicou ainda o anti-judaísmo e a adoração pagã ao Sol como fatores de abandono do sábado e influência na adoção do domingo.

Ele evidenciou o anti-judaísmo latente nos escritos de alguns líderes cristãos do segundo século que “testemunharam e participaram no processo de separação do judaísmo que levou a maioria dos cristãos a abandonar o sábado e adotar o domingo como novo dia de adoração”.

Autor de vários livros, era professor de teologia aposentado da Andrews University, no Estado do Michigan, e faleceu em 20 de dezembro de 2008, um sábado."

http://sabado.org/blog/2009/12/14/livro-do-sabado-para-o-domingo/

Enfim, querido irmão, o catolicismo não tem nada contra aquilo que os adventistas ensinam sobre o domingo ser uma instituição católica! A alta cúpula da Igreja Católica Apostólica Romana reconhece tal mudança.

E tratando da Bíblia, Marcos 16:9 juntamente com João 20:1 não cita nenhuma autorização para mudança do dia de guarda! A Bíblia cita Jesus morrendo em uma sexta, repousando no sábado e ressuscitando no primeiro dia. Muçulmanos guardam a sexta, os adventista guardam o sábado e os católicos guardam o domingo, porém não porque Cristo tenha morrido, descansado, ou ressuscitado em um destes dias.

Os muçulmanos guardam a sexta porque utilizam uma outra bíblia, o Alcorão! O catolicismo guarda o domingo, porque usa um outro livro em par com a Bíblia, o Catecismo! Os adventistas guardam o sábado porque usam somente a Bíblia!

Leia lá querido irmão! Na Bíblia muçulmana está escrito para guardar a sexta feira ao invés do sábado! No catecismo, na parte dos 10 mandamentos testá escritos para guardar domingos e festas no lugar do sábado! Além de ter suprimido o segundo mandamento e dividido o último mandamento em dois, para voltar a ter 10 mandamentos!

Portanto a mudança do sábado para o domingo, não foi autorizada pelas Escrituras sagradas.


E quanto a supressão do segundo mandamento e divisão do último mandamento em Dois? Onde, na Bíblia, há esta autorização para remoção do mandamento que diz para não ter imagens de esculturas? Bem como para a divisão do último mandamento em dois?

Não há querido irmão! A Igreja Católica Apostólica, após se tornar ROMANA, fez tais mudanças sob sua própria autoridade!

Citarei mais fontes CATÓLICAS para o irmão:

A Igreja Católica por 1000 anos antes da existência dos protestantes, pela sua virtuosa missão divina, mudou o dia Sábado para o Domingo.
(The Catholic Mirror 23 de Setembro de 1893 publicado pelo Cardeal James Gibbons).

“O Domingo é a nossa MARCA de autoridade… A Igreja (Católica) está acima da Bíblia; e esta transferência da observância do Sábado para o Domingo é a prova desse fato.”
(Catholic Record, 1 de Setembro de 1923.)

“Talvez a coisa mais ousada, a mudança mais revolucionária, que a Igreja já fez aconteceu no primeiro século. O dia sagrado, o Sábado, foi mudado de Sábado para domingo… Não por alguma ordem encontrada nas Escrituras, mas pelo sentido do próprio poder da Igreja. As pessoas que acham que as Escrituras devem ser a única autoridade deveriam, logicamente, tornar-se Adventistas do Sétimo Dia e guardarem o Sábado sagrado”.
(Reitoria de Santa Catarina, Norte de Michigan, EUA, Jornal da Paróquia de 21/05/95. )

Nós, observamos o domingo, no lugar do sábado por que a Igreja no “Concilio de Nicéa em 325 DC, transferiu a solenidade do 7º dia para o domingo”
(Peter Guyrman Os conversos do Catecismo da igreja católica segunda edição 1910 pagina 50)

“Pelo meu divino poder eu aboli o dia do Sábado e te ordeno guardar o primeiro dia da semana”.E todas as nações se ajoelham em reverencia e obediência ao comando da Santa Igreja Católica.
(T and Wright CSSR in a Lecture Heart for Kansas em 18 de Fevereiro de 1884).
.
“Ridícula e embaraçosa seria a situação dos Protestantes se devessem eles justificar, pelas Escrituras, toda a sua doutrina. Haja vista o só caso da santificação do domingo. Se nos ativermos somente às Escrituras, o ‘dia do Senhor’ que deve ser santificado é o sábado, tanto no Velho como no Novo Testamento, e em nenhum lugar da Bíblia consta que esse dia houvesse sido substituído pelo domingo.
Logo, repitamos com os Adventistas do 7º dia: se os protestantes se fiam só nas Escrituras, que santifiquem o sábado; se quiserem celebrar o domingo é porque reconhecem a autoridade da Igreja Católica Romana, que foi ela quem fez essa mudança; portanto, abracem essa Igreja!”
(Dr. Emílio José Salim (Em seu livro “Ciência e Religião”, Ed. Vozes, 1950, vol. 2, Nota de Rodapé – pág. 14)
.
“Foi a Igreja Católica que, por autoridade de Jesus Cristo, transferiu esse descanso para o domingo, em memória da ressurreição de nosso Senhor: de modo que a observância do domingo pelos protestantes é uma homenagem que prestam, independentemente de sua vontade, à autoridade da Igreja.”
“Monitor Paroquial”, 26/08/1926, Socorro, SP, ano I, nº. 8.
.
"Deus quer que nos domingos e festas lhe honremos... com a celebração da santa missa. A isso nos obriga a Igreja em nome de Cristo... O que sem motivo justificado não vai a missa nos domingos e festas de preceito, peca gravemente."
Catecismo Católico Herder - Páginas 206 e 207
.
“A igreja após trocar o dia de descanso do Sábado dos judeus, ou o sétimo dia da semana, para o primeiro dia, fez o terceiro mandamento e se refere ao domingo que seja mantido sagrado como o Dia do Senhor.”
Enciclopédia Católica, Vol. 4, Página 153.
.
O Papa e Deus são o mesmo, logo ele tem todo o poder nos Céus e na Terra”
(Papa Pio V, citado em Barclay, Capítulo XXVII, p. 218, “Cities Petrus)
.
Todos os nomes que nas Escrituras se aplicam a Cristo são aplicáveis ao Papa”
(Berlamino, “On the Authority of Councils”, liv. 2, cap. 17)
.
“Cuidemos não perder aquela salvação, aquela vida e fôlego os quais tu nos tem dado, pois tu és nosso pastor, tu és nosso médico, tu és nosso governador, tu és nosso esposo, finalmente tu és outro Deus, sobre a terra”
(Quinto Concílio, Sessão IV, ano 1512; Do Latim em Mansi SC, Vol. 32, col. 761 – também citado em A História dos Concílios, vol. XIV, col 109, por Labbe e Cossart)
.
“O Papa tem poder para mudar os tempos, ab-rogar leis e dispensar todas as coisas, mesmo os preceitos de Cristo”
(Decretal de Translat, Episcopcap. 6)
.
“O Papa é de tão grande autoridade e poder que pode modificar, explicar ou interpretar mesmo as leis divinas… O Papa pode modificar as leis divinas visto seu poder não provir dos homens, mas de Deus, e age como vigário do Filho de Deus na Terra, com o mais amplo poder de ligar e desligar o rebanho”
(Extraído de “Prompta Bilbiotheca”, publicado em Roma, em 1900)
.
“A vontade do Papa representa a razão. Ele pode dispensar a lei, e fazer do errado, direito, por meio de correções e mudanças das leis”
(Papa Nicolau, em seu discurso de n° 96).
.
“Portanto, não te maravilhes si está em meu poder mudar tempo e tempos, alterar e mudar a lei, dispensar todas as cousas, sim, os próprios preceitos de Cristo. Papa Nicolau, escrevendo aos bispos de França, que puxem pelas espadas materiais”
(Papa Nicolau, em seu discurso de n° 96; Extraído de “Decretal de Translat, Episcop”, cap. 6)
.
“Podeis ler a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma única linha que autorize a santificação do domingo. As Escrituras ordenam a observância religiosa do sábado, dia que nós nunca santificamos.”
Cardeal James Gibbons, – (The Faith of Our Fathers, pág 111)
.
“O Domingo é uma instituição católica, e sua observância só pode ser defendida por princípios católicos. Do princípio ao fim das Escrituras não é possível encontrar uma única passagem que autorize a mudança do culto semanal, do último para o primeiro dia da semana.”
(Catholic Press, 25/08/1900)
.
O Cardeal Maida, Arcebispo de Detroit, EUA, observa: “O dia santo foi mudado do sábado para o domingo… não em virtude de qualquer instrução dada pelas Escrituras, mas por causa do sentimento de poder da própria igreja (Católica). (…) As pessoas que pensam que as escrituras deveriam ser a única autoridade, deveriam logicamente se tornar Adventistas do Sétimo Dia, e santificar o sábado.”
(Em “St. Catherine Catholic Church Sentinel”, Algonac, Michigan, EUA, 21 de maio de 1995.)
.
“A Igreja (Católica) mudou a observância do sábado para o domingo pelo direito divino e a autoridade infalível concedida a ela pelo seu fundador, Jesus Cristo. O protestante, propondo a Bíblia como seu único guia de fé, não tem razão para observar o domingo. Nessa questão, os Adventistas do Sétimo Dia são os únicos protestantes coerentes.”
(Declara o “Boletim Católico Universal”: P. 4, de 14 de agosto de 1942.)
.
“Já que o Sábado, e não o domingo, é especificado na Bíblia, não é curioso que os protestantes, que professam extrair da Bíblia a sua religião, observem o domingo ao invés do Sábado. Sim, é claro, não faz sentido, mas a mudança foi feita cerca de quinze séculos antes do protestantismo nascer. Eles continuaram a obedecer a este costume, embora esteja baseado na autoridade da Igreja Católica e não num texto explícito da Bíblia. Esta observância continua como uma lembrança da Igreja-Mãe da qual os protestantes se desligaram, como um garoto que foge de sua mãe mas ainda carrega em seu bolso uma foto ou um cacho de cabelos de sua mãe”.
(Reverendo John O’Brian, A Fé de Milhões, págs. 421-422.)
.
Também declaramos que de todos os protestantes, os adventistas do sétimo dia constituem o único grupo que raciocina corretamente e é coerente com seus ensinos. É sempre um bocado engraçado ver igrejas protestantes, em púlpitos e legislaturas, requerendo a observância do domingo, sobre a qual nada consta na Bíblia.
(Peter R. Tramer, Editor da Revista Católica. )
.
“Foi a Igreja (Católica) que… transferiu este repouso (do sábado bíblico) para o domingo… Então, a observância do domingo pelos protestantes é uma homenagem que, contra si mesmos, rendem à autoridade da Igreja Católica.”
(Plan Talk the Protestantism of Today”, Monsenhor Louis Segur P. 213.

O irmão está começando a conhecer a verdade, como a conheceram vários outros irmãos católicos!

9 comentários:

  1. Uma única passagem bíblica refuta todo esse textão: At 20,7: "No PRIMEIRO dia da semana, estando nós reunidos para a fração do pão..." Só aí mostra o domingo como o dia do Senhor, bem como a Eucaristia.
    Há também Mt 28,1 e Ap 1,10 e 1Cor 16,2.
    Sem falar nos documentos históricos. Inácio de Antioquia, que morreu no ano 107 martirizado no coliseu de Roma (Cristo morreu e ressuscitou no ano 33, então Inacio viveu cerca de apenas seis décadas depois, pode ser considerado um cristão primitivo, não?) Escreveu: "Aqueles que viviam segundo a ordem antiga das coisas voktaram-se para a nova esperança,não mais observando o sábado, mas sim o dia do Senhor, no qual nossa vida foi abençoada por Ele e por sua morte." Carta aos magnesios 9,1.
    Quer um texto mais antigo ainda? Está na epístola de Barnabas, escrita no ano 74 DC, antes mesmo do livro do Apocalipse ser escrito: "Guardamos o oitavo dia (o domingo) com alegria, o dia em que Jesus levantou dos mortos" Barnabas 15, 6-8.

    Honestidade intelectual mandou lembranças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reunir no domingo para ceia não é o mesmo que guardar o domingom

      Excluir
  2. Uma única passagem bíblica refuta todo esse textão: At 20,7: "No PRIMEIRO dia da semana, estando nós reunidos para a fração do pão..." Só aí mostra o domingo como o dia do Senhor, bem como a Eucaristia.
    Há também Mt 28,1 e Ap 1,10 e 1Cor 16,2.
    Sem falar nos documentos históricos. Inácio de Antioquia, que morreu no ano 107 martirizado no coliseu de Roma (Cristo morreu e ressuscitou no ano 33, então Inacio viveu cerca de apenas seis décadas depois, pode ser considerado um cristão primitivo, não?) Escreveu: "Aqueles que viviam segundo a ordem antiga das coisas voktaram-se para a nova esperança,não mais observando o sábado, mas sim o dia do Senhor, no qual nossa vida foi abençoada por Ele e por sua morte." Carta aos magnesios 9,1.
    Quer um texto mais antigo ainda? Está na epístola de Barnabas, escrita no ano 74 DC, antes mesmo do livro do Apocalipse ser escrito: "Guardamos o oitavo dia (o domingo) com alegria, o dia em que Jesus levantou dos mortos" Barnabas 15, 6-8.

    Honestidade intelectual mandou lembranças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmã Christiane, é uma satisfação dialogar contigo,

      O partir do pão, Atos 20:7, não está presente como uma das cerimônias que indicam a guarda de um dia. Se a irmã ler todo o antigo testamento e também o novo testamento, perceberá que a bíblia não az ligação entre partir o pão e aguarda do dia de repouso. Os eventos religiosos que indicam a guarda deste dia é a leitura da Palavra (Lucas 4:16, Atos 15:21).


      Este último verso de atos demonstra que a Bíblia continuou sendo lido nas sinagogas aos sábados.

      Outra prática era a abstenção do trabalho, leia (Atos 18:3-4).

      Os cristãos não foram ensinados nem tinham idéia de que o dia seria mudado por ocasião da morte de Cristo (Lucas 23:56).

      Outra prática, ensinada por Jesus, dedicar o dia inteiro a fazer o bem, curar os doentes, expulsar demônios, alimentar os famintos (Mateus 12:12, Marcos 2:5, Mateus 14:20).

      Outro detalhe:

      Cristo não vinculou a prática da Santa Ceia ao dia de guarda, que em seu tempo continuava sendo o sábado. A Santa Ceia, também, simboliza o sacrifício de Cristo, sua carne e seu sangue e não a ressurreição. Seguindo este princípio, a comemoração da santa ceia tenderia a ser realizada na sexta-feira o dia em que Cristo ofereceu-se em sacrifício.

      Percebe como não há como vincular a Santa Ceia com o dia de guarda, querida irmã?

      E realmente há documentos históricos que comprovam que a igreja cristã foi, gradualmente, mudando o dia de guarda, do sábado para o domingo, entretanto, também demonstra que cristão continuaram guardando o sábado, sem nunca cessar, durante toda a história.

      E se a irmã analisar os textos de Inácio de Antioquia, perceberá uma coisa interessante, a não citação do domingo.

      Inácio faz a distinção entre dois sábados, o guardado pelos Judeus e o guardado pelos cristãs. Eram em dias diferentes na semana? A resposta é não, querida irmã.

      Eram no mesmo dia, porém os judeus guardavam de uma forma e os cristãos de outra, e qual era a diferença?

      A diferença, querida irmã é que os cirstãos guardavam o sábado em vista dos ensinamentos de Cristo, aquele que por três anos e meio Jesus se dispôs a ensinar aos judeus, mas não quiseram dar-lhe ouvidos.

      A maior declaração de Cristo acerca deste assunto está presente nos evangelhos:

      "E então lhes disse: "O Filho do homem é Senhor do sábado"." (Lucas 6:5)

      Cristo declarou Sua senhoria sobre este dia, como o Criador. Isto tem um peso muito grande querida irmã.

      Veja o que Deus declara no mandamento do sábado:

      "Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia descansou. Portanto, o Senhor abençoou o sétimo dia e o santificou."
      (Êxodo 20:11)

      (...)

      Excluir
    2. Veja, se Jesus é o Senhor do sábado, quem abençoou e santificou estes dia, segundo declaração do próprio Cristo e da Bíblia?

      Foi o próprio Cristo, querida irmã. E como podemos ter plena certeza nisto? O livro de João, leia todo o capítulo 1, colocarei aqui alguns versos:

      "No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. Ela estava com Deus no princípio.
      Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens." (João 1:1-4)

      O termo "a luz dos homens" se refere também a ensinamento. Então entendemos por que Cristo deu como resposta aos fariseus, de que era Senhor até do sábado, acerca da forma como estava ensinando seus discípulos a guardar este dia.

      Leia Gênesis 2:1-4.

      Testes textos nos mostram duas coisas: a primeira é de que Cristo é Divino, a segunda de que é o criador do sábado e aquele que o abençoou e santificou.

      Um texto que comprova isto no Antigo Testamento, palavras do próprio Deus:

      "Se desviares o teu pé do sábado, de fazeres a tua vontade no meu santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, e o santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras, Então te deleitarás no Senhor, e te farei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Jacó; porque a boca do Senhor o disse." (Isaías 58:13,14)

      Assim o sábado é também o dia em que nos deleitamos no Senhor!

      Quem é o Senhor?

      E olha que interessante e que lemos em Apocalipse 14:7:

      "Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas." (Apocalipse 14:7)

      Agora abra sua Bíblia e leia em Êxodo 20:11.

      ESTE é o sábado cristão, querida irmã, onde reconhecemos Cristo como a Pessoa Divina por meio da qual TODAS as coisas foram criadas.

      Leia Colossenses 2:9;

      Isto, querida irmã é o principal ponto que separa o Cristão do Judeu, porque cremos na Senhoria de Jesus Cristo.

      Para a irmã se aprofundar no assunto, leia Lucas 23:55-56. Leia também Mateus 24:20, este verso é muito importante querida irmã, pois refuta a ideia de que a Igreja passaria a guardar um outro dia que não o sábado 70 anos depois da morte de Cristo. Ali Cristo detalha eventos sobre a invasão de Jerusalém.

      Leia também Atos 13:44, Atos 13:14, Atos 17:2, Atos 18:4, Atos 13:42, Atos 15:21, Atos 13:27, Atos 1:12 e Atos 16:13.

      O próprio João que escreveu tanto o evangelho quanto o livro de Apocalipse, já utilizava a expressão "Dia do Senhor", conforme lemos em Apocalipse 1:10. Mas veja como se refere ao domingo:

      "E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro." João 20:1

      Percebeu o detalhe, querida irmã, Lucas descreve que aquelas mesmas mulheres repousaram no sábado segundo o mandamento e o mesmo João que usa a expressão "Dia do Senhor", chama o domingo, naquele evento, tão somente de "primeiro dia".

      E isto notamos, também em todos os textos utilizados para a consolidação do domingo como em Marcos 16:2, Mateus 28:1, Lucas 24:1, Marcos 16:9.

      Percebemos a mesma ocorrência em demais versos e que tratam de eventos posteriores à ressurreição de Cristo, em: João 20:19, Atos 20:7, 1 Coríntios 16:2.

      (...)

      Excluir
    3. Estes são os únicos versos que falam do primeiro dia da semana, queria irmã.

      Deste modo, embora a igreja cristã tenha deixado de guardar o sábado, durante a história, isto não serve de base nem autorização para procedermos igualmente guardando um dia não ordenado pelas escrituras. A Bíblia realmente não nos ensina a santificar o domingo, nem menciona qualquer coisa sobre tal mudança.

      Quando vamos porém pra a história, percebemos como o domingo foi colocado no lugar do sábado e quem foram os responsáveis pela mudança e que foi a própria igreja cristã, sem autorização das Escrituras.

      Paulo e João foram os último apóstolos e não deixaram nada escrito para a igreja que pudesse levar os cristãos a deixarem de guardar o sábado para guardar o domingo. E que o sábado era guardado pelos cristãos percebemos claramente nos evangelhos, por parte das mulheres que visitaram Cristo em Seu túmulo.

      Agora veja o que o profeta Isaías recebeu de inspiração, palavras do próprio Deus:

      "E será que desde uma lua nova até à outra, e desde um sábado até ao outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor." (Isaías 66:23)

      A lua nova é um marco mensal, da passagem do mês, onde teólogos acreditam que será o dia em que tomaremos dos frutos e das folhas da árvore da vida, conforme Apocalipse 22:2.

      Onde o mais intrigante é o sábado mencionado, desta forma, ou teremos dois dias na semana a ser guardado, sábado e domingo, ou tão somente o sábado. Entretanto, mais uma vez, a Bíblia não faz qualquer declaração acerca da presença do domingo, no céu ou na nova terra.

      Outro detalhe, é que a Bíblia não vindica nenhuma adoração à Deus no domingo, percebemos isto quando lemos Apocalipse 14:7 e Hebreus 4:4 e que continuam a usar o sábado, como memorial da criação, quando se exige a adoração a Deus por parte de Cristãos. Não há menção sobre o evento da ressurreição de Cristo.

      De fato, os eventos que representam o Sacrifício de Cristo foi nos deixados como cerimônia da santa ceia, nada mais.

      Agora, podemos transferir as solenidades da Santa Ceia, pra o domingo, transformando a cerimônia na guarda de um dia?!

      Não, querida irmã! Esta manobra não foi ensinada nem autorizada por Deus e não encontramos nada referente a isto nas Escrituras.

      Do ponto de vista teológico é também algo impossível, não apenas por isto, mas porque a cerimônia se refere a todo o sacrifício de Cristo, especialmente, o derramamento do Seu sangue o Sua carne dada em favor de nós e que se referem à Sua morte na sexta-feira.

      Mesma dificuldade de transferência do simbolismo, encontramos na questão da páscoa semanal, que igualmente aponta para a morte de Cristo e não estritamente Sua ressurreição.

      E o mais interessante é a forma como Jesus Cristo via a morte:

      "Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono." (João 11:11)

      E um dia que passa quase desapercebido entre a morte e a ressurreição de Cristo, que é o sábado em que cristo descansou na sepultura.

      Vemos Cristo então descansando três vezes, primeiro na criação, depois em vida, durante seu ministério e em terceiro na Sua própria morte.

      Isto, querida irmã, pra mim tem um significado muito importante, pois aquele mesmo Cristo que antes estava vivo e alegre, comemorando com Adão e Eva a criação de todas as coisas, agora se encontrava morto em uma sepultura, em uma obra de resgate daquelas mesmas criaturas.

      Foi o primeiro dia na história da humanidade em que Cristo não pôde estar presente com Suas criaturas.

      Leia Provérbios 8:26-31, querida irmã.

      Um abraço, que Deus te abençoe.

      Excluir
  3. Sem dúvidas, o sábado jamais foi e jamais será abolido,pois esse é o sinal dos filhos de Deus.

    ResponderExcluir