quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Onde está a doutrina do Santuário celestial?


A doutrina é nova para quem não conhece, mas é antiga, sendo uma das bases de ensinamento ao Povo de Israel sobre o plano da redenção através de Cristo, Sacerdote e Sumo-sacerdote que hoje atua no Santuário Celestial, executando todas aquelas obras que antes eram representadas por sacerdotes no santuário terrestre.

DOUTRINA;
Êxodo 25 em diante;

REFERÊNCIAS NEO TESTAMENTÁRIAS:
Hebreus 8:2;
Hebreus 9:1;
Hebreus 10:19;
Hebreus 9:24;
Apocalipse 11:19;
Hebreus 9:25;
Atos 17:24;
Hebreus 9:12;
Hebreus 13:11;
Apocalipse 11:1;
Hebreus 9:2;
Hebreus 8:5;
Hebreus 10:21;
Hebreus 5:10;
Hebreus 7:17;
Hebreus 5:6;
Hebreus 7:15;
Hebreus 8:3;
Hebreus 7:21;
Hebreus 3:1;
Hebreus 6:20;
Hebreus 8:4;
Hebreus 4:14;
Hebreus 7:1;
Hebreus 7:3;
Hebreus 8:1;
Hebreus 10:11;
Hebreus 7:26;
Hebreus 9:25;
Hebreus 9:7;
Hebreus 9:11;
Hebreus 13:11;
Hebreus 2:17;
Hebreus 4:15;
Hebreus 5:1;
Hebreus 5:5;
Hebreus 7:11;
Hebreus 10:12;
Hebreus 9:6;
Hebreus 7:28;
Hebreus 7:27;

Dentre outras.

16 comentários:

  1. Podemos ver a doutrina do santuário ao longo de toda a bíblia. Só nega isso aquele que que quer adequar a bíblia à sua própria conveniência.

    ResponderExcluir
  2. E pq vc acabou com o 'ex-adventistas' mesmo...?

    ResponderExcluir
  3. A bíblia possui vários assuntos. Vamos pegar, por exemplo, o casamento. Para termos uma ideia do que é realmente o casamento, aquele instituído por Deus, devemos pegar todos os textos que falam desse mesmo assunto, deixando que os textos bíblicos de mais fácil entendimento lance luz sobre os textos mais difíceis e usando a lógica, teremos uma ideia do que é um casamento nos moldes bíblicos. É dessa forma que agimos com o assunto Santuário. Pegamos todos os textos que falam desse assunto e tiramos uma conclusão. É como um exercício de lógica. Pegando todas as premissas chegamos a uma conclusão. Percebo que vc acredita ser a bíblia a palavra de Deus. Vc não acha que Deus quer nos dizer alguma coisa quando colocou esse assunto, o santuário, em toda a bíblia??? Está de Gênesis ao Apocalipse. Ore a Deus e vc irá entender esse assunto também. Deus lhe abençoe em seu estudo

    ResponderExcluir
  4. Feliz sábado, ó figos bons, romãs, árvores plantadas em beira de ribeiro, jardim regado, carvalhos de justiça, amigos do corpo, sal que dá gosto, filhinhos, ministros do evangelho, embaixadores de Cristo!

    ResponderExcluir
  5. Entendendo o problema (humanamente) insolucionável e que tornou necessária a criação do nosso "coletor de lixo":

    http://novotempo.com/consultoriodefamilia/videos/consultorio-de-familia-lidando-com-transtornos-mentais/

    Entendo hoje de que ninguém é obrigado a ser exposto à qualquer tipo de assédio moral. Atendendo recomendações da irmã Maria Gonçalves de não manter mais estes tipos de comentários, maldosos, e a idéia do irmão Jair sobre o "coletor de lixo", a moderação continuará de forma permanente, em favor das pessoas de bem e de respeito que leem e comentam neste blog.

    Particularmente cheguei à conclusão de que vale a pena abdicar de uma parte da liberdade de expressão, que se refere a expressões de puro ódio, e que visam unicamente o assédio moral das pessoa que leem.

    Tal coisa não pode ser considerada como liberdade de expressão, mas sim como uma forma de agressão através de palavras.

    Liberdade de expressão é também respeitar a liberdade alheia, de pensamento e de crença. Discursos de ódio, intolerância, preconceito e discriminação, não fazem parte da liberdade de expressão permitida constitucionalmente e os tais portanto devem ser repudiados.

    Agradeço aos irmãos e amigos.

    Amemos!

    ResponderExcluir
  6. Apoio-o inteiramente, sr. adventista. O senhor usou o seu direito de liberdade de expressão de forma digna ao criar o seu blog. Quem não concorda com as suas ideias religiosas só tem que se expressar de forma franca, aberta mas educada.

    ResponderExcluir
  7. Um ano tem 360 dias. Um século tem 36.000 dias. 18 séculos tem 648.000 mil dias x 2 (vezes por dia) = 1.296.000 vezes Jesus entrou no Santo para espargir seu sangue PURO sobre os móveis do santuário celeste. Quanta tolice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tolice mesmo irmão. Por isto é bom estudar a doutrina do santuário antes de criar deduções.

      Um abraço.

      Excluir
    2. A doutrina do santuário foi criada por causa do erro gritante em marcar datas para a volta de Cristo. O livro de Hebreus é pródigo em mostrar que Jesus, como sacrifício perfeito, não precisava ministrar no lugar santo e no santíssimo entrou, uma única vez, após sua ascensão, ofertando ao Pai seu sangue puro, como oferta eterna pelos pecados de todos.

      Excluir
    3. Olá irmão Jo, a doutrina do santuário é uma das doutrinas mais antigas, tendo sido representada cerimonialmente no santuário terrestre.

      Paulo liga o santuário terrestre ao santuário celestial de modo que a doutrina do santuário sempre existiu, apenas que deixou de ser ensinada cerimonialmente e com o passar do tempo, nem mais por meio da leitura e ensino da Bíblia, segundo os livros de Moisés que foram deixados de lado.

      Leia o seguinte artigo:

      http://novamenteadventistas.blogspot.com.br/2016/11/existe-mesmo-um-santuario-celestial.html

      Um abraço.

      Excluir
    4. Prezado irmão, que existe um santuário celeste eu sei. O que eu não consigo encontrar na bíblia é a base para, por exemplo, a afirmação de Ellen White de que por 18 séculos Cristo ministrou no lugar santo e somente em 1844 entrou no Santo dos Santos. Sendo o sangue de Jesus perfeito, puro e aceito completamente pelo Pai, não haveria motivo algum para um sumo sacerdote tão superior quanto Cristo repetir, no santuário celeste, os mesmos ritos observados pelos sacerdotes humanos. O sacerdócio terreno era sombra do sacerdócio celestial. Onde um sacerdote tinha que ministrar todos os dias, Jesus ministrou uma única vez, assentando-se, para sempre à direita de Deus. O problema dessa doutrina é que morre no nascedouro. O contexto em Daniel deixa claro que o santuário terrestre deve ser purificado de uma ação profana praticado contra ele. Nada se diz sobre purificação de santuário celeste devido aos pecados do povo de Deus. Basta ler com atenção, levando em consideração todo o contexto e também o capítulo 11. Que o Senhor te ilumine!

      Excluir
    5. Olá irmão Jo, não haveria motivos para existir os ritos do santuário terrestre se não houvesse o cumprimento destes ritos no santuário celestial.

      E o ensino da purificação do santuário deve ser feito segundo o rito que o representava (Levítico 23).

      A doutrina do santuário é a interpretação de todo o simbolismo do santuário terrestre. Os vários sacerdotes e também o sumo-sacerdote representavam um único mediador entre Deus e os homens o qual é Cristo.

      O que era feito diariamente representava algo que é feito hoje continuamente. Assim como o que era feito anualmente (a purificação do santuário) representa algo que em certa data (cumprimento das 2.300 tardes e manhãs), passou a ser realizado também continuamente.

      De modo que, assim como Cristo se ofereceu uma única vez e o sangue derramado serve a toda humanidade, assim também Cristo entrou no santuário uma única vez a fim de realizar um trabalho em favor de toda a humanidade, na aplicação dos méritos salvíficos, conquistados por Ele na cruz, na vida de cada pessoa.

      De modo que a expiação PROVIDA na cruz, agora é APLICADA na vida de todo o crente.

      Um abraço.

      Excluir
  8. O motivo dos ritos no santuário terrestre deve-se à imperfeição do sacerdócio levítico (humano) e ao sangue de animais que não resolviam efetivamente nada. Cristo é o Sumo Sacerdote por excelência, não dependendo de sangue alheio e nem sob a obrigação de cumprir ritos dados sob um sacerdócio imperfeito. hebreus 1:3 explica que "havendo feito por si mesmo a PURIFICAÇÃO de nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas". Jesus derramou seu sangue como oferta toda suficiente por nossos pecados e ao subir aos céus assentou-se à direta de Deus, no Santo dos Santos (creio que é aí que está o trono de Deus). Jesus, como nosso Sumo Sacerdote não está sujeito às regras levíticas (Hb 7:16). O ensino de Ellen White sobre Jesus ter ministrado por 18 séculos no santuário antes de entrar no Santíssimo é desmentido por: "que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer CADA DIA sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e, depois, pelos do povo; porque isso fez ele uma vez, oferecendo-se a si mesmo" (Hb 7:26-27). Quando o livro de Hebreus foi escrito, Jesus não se encontrava no Santo, mas sim à destra de Deus (Hb 8:1-2). O ministério de Cristo é MAIS EXCELENTE (Hb 8:6). E tem tantas outras passagens que me fazem duvidar com muita "força" dos argumentos adventistas. Obrigado pelo seu tempo. Fique em paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, irmão, as representações do cerimonialismo eram inefetivos pelo fato de serem simples representações. O cumprimento sim é a parte efetiva de todo o cerimonialismo, no ministério de Cristo. As representações, ou sombras, cerimoniais era apenas uma maneira de o povo manifestar sua fé por meio do entendimento visível, ainda que simbólico, no que ocorreria em favor deles no futuro, por meio do ministério de Cristo.

      Todo o simbolismo do santuário representa o ministério de Cristo, em seus mínimos detalhes, como por exemplo, Jesus como o pão da vida, a luz do mundo e a água da qual se alguém beber jamais voltará a ter sede, presente nas figuras do santuário por meio da bacia com água e que também simbolizava o batismo, do castiçal com as lampas e dos pães da proposição.

      Diferente de Arão (Levítico 16:2), Cristo tem acesso irrestrito ao santuário. Porém, cristo não executou nenhum trabalho relacionado à purificação do santuário quando ascendeu aos céus.

      Assim como Arão, Cristo também adentrou ao santíssimo, onde foi empossado como sumo-sacerdote, diante de Deus, no caso de Cristo, porém, assentou-se no seu lugar de origem à destra de Deus. Isto ocorre porque Cristo é sumo-sacerdote da ordem de Melquisedeque o que significa que Cristo é tanto sacerdote como rei, por isto se assenta no trono junto com Deus.

      Ali porém, não havia nenhum tribunal estabelecido até o cumprimento das 2.300 tardes e manhãs de Daniel. De modo que todo trabalho de intercessão era feito no compartimento do santo. Assim, Cristo sempre teve livre acesso a ambos os compartimentos.

      Mas quando do cumprimento das 2.300 tardes e manhãs, Cristo então continua executando o trabalho de intercessor, porém agora no santo-dos-santos, acumulando uma outra função que é de juiz e de advogado (2 Timóteo 4:8, 1 João 2:1). Ali se estabelece o tribunal de Cristo (Romanos 14:10, 2 Coríntios 5:10) que irá aplicar os benefícios da salvação à vida de todo crente, garantindo a sua presença na eternidade (Romanos 8:1).

      Um abraço.

      Excluir