sexta-feira, 10 de abril de 2015

Sábado e suas homenagens X Domingo e suas homenagens Parte 2

Estes ensinamentos querido irmão, não estão contidos na Bíblia.

Biblicamente, um dia corresponde a uma tarde e manhã, sendo tarde a parte escura e dia a parte clara.

Biblicamente, o sábado é um dia natural, existente desde, e assim como os demais na Criação.

O sábado não foi criado no período de Israel e só para Israel. Tal afirmação contradiz o relato bíblico.

Em toda escritura, nenhum profeta, nem Cristo, nem apóstolo jamais disse de que os mandamentos dados eram só para Israel.

A Bíblia ensina de que os mandamentos de Deus eram também para os estrangeiros, bem como para qualquer um que se achegasse parar abraçar a aliança.

Os mandamentos de Deus foram dados a Abraão.

O sábado já era guardado por israel, antes da aliança no monte Sinai.

O sábado não é uma dia cerimonial, mas sim um dia abençoado e santificado.

Os sábados que faziam parte do cerimonialismo eram justamente os dias em que ocorria a representação do cerimonialismo.

No sábado do sétimo dia não eram realizados os símbolos do Santuário, mas sim o descanso, abençoado e santificado, que remetia à criação e á libertação.

Paulo não instituiu o Descanso no Senhor no lugar do sábado, assim como não instituiu o domingo no lugar do sábado.

E a afirmação que fiz, sim procede.

Uma vez que Adão e Eva eram representantes da raça humana e não de Israel.

O sábado foi dado ao homem, assim como foi dado toda a criação nos outros 6 dias. E o sábado continua a existir desde o Éden, sem jamais ter sido subtraído dentre os dias da semana.

O sábado foi feito por causa do homem! Quando Cristo afirmou tal coisa, tinha em mente a raça humana, nas pessoas de Adão e Eva, nos dias da Criação.

Cristo criou o sábado, bem como as plantas e os animais, e modelou todos os recursos naturais, porque haveria de colocar ali o homem.

Porque o homem necessitaria de um dia de descanso e comunhão, tanto quanto precisaria de plantas para se alimentar.

O sábado não é judaizante, pois provém de antes da existência da tribo de Judá.

O sábado não foi dado somente à tribo de Judá, mas todas as tribos de Israel.

O sábado procede de antes da existência do judaísmo.

O sábado portanto não é uma criação da religião Judaica, mas sim de Cristo!

Cristo fez o sábado e colocou-se como Senhor deste dia, desde a criação, abençoando e santificando o sétimo dia, para que nele se descansasse e O adorassem.

Sábado se refere ao dia que foi abençoado e santificado, tal bênção e santificação é que tornou o sétimo dia no sábado.

O sábado foi dado por Deus a Israel. Não foi obra da religião judaica que surgiu tempos mais tarde.

Antes de ser dado a judeus, a lei foi dada a todos os israelitas de todas as 12 tribos e não apenas a de Judá.

Antes de ser dado aos israelitas, foi dada ao próprio Abraão, pai da nação de Israel.

E antes de ser dado a Abraão, o sábado já havia sido criado para toda a humanidade.

Israel, foi inquirido a guardar o sábado antes de receber a aliança!

Israel, foi inquirido a guardar as leis de Deus, antes de receber a aliança!

Todos que receberam uma aliança com Deus foram inquiridos a guardar os SEUS mandamentos.

Antes do sinai, o povo era inquirido a guardar as mesmas leis dadas a Abraão, segundo a aliança feita com Abraão.

Depois do sinai, o povo era inquirido a guardar as mesmas leis que observavam depois do sinai e mais o cerimonialismo e os preceitos judiciais, escritos no livro que era colocado ao lado da arca da aliança. Arca esta que continha dentro os mandamentos de Deus observados por todos aqueles que um dia fizeram aliança com Deus.

Depois da morte de Cristo, já na segunda aliança, nos três anos e meio em que os apóstolos se dedicaram à pregação exclusiva aos judeus, continuava-se a observar aquelas mesmas leis dadas a Abraão e seus descendentes antes do sinai, exceto as leis do cerimonialismo contidas no livro.

Depois de passado os três anos e meio, com a promulgação do evangelho também aos gentios, através de Paulo, continuou-se a observar as leis escritas nas tábuas, estando os judeus conversos guardando os preceitos judiciais em sua terra natal, Israel, enquanto os gentios observavam as leis judiciais presentes em cada uma de suas localidades.

No ano 70 quando da invasão de Jerusalém, os cristãos que ali  estavam dentro das portas observavam o sábado e os preceitos judiciais de israel. Estando isentos apenas da observação do cerimonialismo.

Os Cristãos de fora estavam isentos da observação do cerimonialismo bem como dos preceitos judiciais de Israel, tendo que cada um observar os preceitos judiciais de suas próprias nações.

Israel esteve isento de aplicar a pena capital, que ia contra as leis Romanas vigentes sobre o Estado de Israel.

Israel sob o Julgo de Roma estava em situação parecida quando esteve sob o Julgo de Babilônia.

Em babilônia observavam os mandamentos de Deus, embora não observassem os preceitos judiciais e cerimoniais.

Porém, não importando a situação, os 10 mandamentos escritos pelo dedo de Deus, jamais deveriam deixar de ser observados, mesmo em face de pena de morte, como enfrentaram os três jovens companheiros de Daniel.

Mesmo quando um Judeu viajava para outro país, com outras leis judiciais e não podendo observar a lei cerimonial, ainda assim tinha que guardar os mandamentos morais de Deus. Enquanto um cordeiro era sacrificado duas vezes por dia, em seu nome e enquanto observava os preceitos judiciais de cada nação por onde passava.

Paulo quando saiu das portas de Israel, indo para o campo gentio, continuou a observar os mandamentos de Deus, inclusive o sábado. Não fez tenda neste dia, nem realizou qualquer obra monetária ainda que fosse para financiar a pregação do evangelho. Mas este nas sinagogas em cada sábado, e fora delas pregando a homens e mulheres em meio à natureza ou à beira de um rio.

Os gentios iam à sinagoga aprender sobre a lei de Moisés, no dia de sábado. Os apóstolos deixaram à cargo das sinagogas, esta tarefa que era feita em cada cidade, todos os sábados.

Paulo marcava em cada sábado um encontro com os gentios a fim de repetir-lhes as mesmas coisas, enquanto nos demais dias da semana, inclusive no domingo, se dedicava a fabricar tendas para custear a sua pregação do evangelho.

Uniam-se a Paulo outros Cristãos, que igualmente trabalhavam nos 6 dias da semana e compareciam no sábado nas sinagogas.

João morreu sem nunca ter ensinado a trabalhar no sábado ou se descansar no domingo.

Paulo morreu sem nunca ter ensinado a trabalhar no sábado ou se descansar no domingo.

O Descanso no Senhor é em todos os dias, assim como eram em todos os dias para Adão e Eva. Porém descanso físico além do espiritual é somente no sábado, assim como era para Adão e Eva.

Sempre que tentamos prever o domingo nas Escrituras, temos agido como videntes.

Se fosse da vontade de Deus que deixássemos o sábado para guardar um domingo, certamente teria deixado isto bem claro nas Escrituras.

A Bíblia porém não ensina,
Não dá ordem,
Nem autoriza,

A se mudar o dia de guarda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário