sexta-feira, 17 de junho de 2016

Comentário - O sábado e sua essência, do Gênesis ao Apocalipse.

Olá Paulo Cadi, o livro de Gênesis também foi escrito por Moisés, no mesmo contexto.

Os mandamentos já conhecidos (Gênesis 26:5) não são ali detalhados porque não há necessidade, uma vez que são devidamente explicados no livro seguinte, de Êxodo.

A forma como Moisés descreve os relatos, demonstra de que os mandamentos já eram cobrados, antes mesmo da entrega destas leis escritas, inclusive o sábado (Êxodo 16:28).

Gênesis e êxodo são um mesmo relato corrido, os escritos de Moisés são uma coisa só.

Não foram escritos em duas dispensações diferentes!

Moisés não faz separação alguma ente Gênesis e Êxodo, Moisés, descreve estes relatos como uma coisa só.

O próprio relato da criação e da história da humanidade, foi dado para explicar o propósito de Deus estar fazendo aquela aliança com os descendentes de Israel, juntamente com aquelas leis.

Assim como Deus fez uma aliança com Adão e Eva, que é a de enviar o messias, para salvar a humanidade, Deus também faz uma aliança com Abraão, Jacó e também seus descendentes.

De modo que o povo de Israel pratica todas aquelas coisas ensinada oralmente aos seus antepassados como descreve outras coisas que aquele povo deveria seguir.

Por isto é dito que aquela aliança em específico não foi feita com os seus antepassados. Há muitas coisas novas que aquele povo deveria seguir, com base nas antigas, ao passo que Deus fez com aquele povo também novas promessas, garantindo ainda as promessas anteriores entregues aos seus pais.

O simples fato de o sábado já ser lembrado ao povo liberto, antes da entrega das tábuas, já nos mostra que este era um mandamento já incluído na aliança feita com os patriarcas!

O patriarca imediato do povo de Israel era o próprio Israel (Jacó). Que já praticava o dízimo e sabia dos seus pecados.

E se sabia dos seus pecados é porque Deus já cobrava estes pecados (o pecado é a transgressão da lei).

A lei, dada de forma oral, foi dada não para revogar, mas para colaborar com a lei internamente gravada em Adão e Eva, da mesma forma a lei escrita veio não para revogar, mas para colaborar com a lei oral e a lei interna.

Da mesma forma que a lei espriritual não veio para revogar nenhuma outra das formas de expressão da lei, mas para fazer com que ela voltassem novamente a ser escritas internamente no ser humano.

Por que a lei oral foi dada?

R= Porque o homem, depois do pecado, estava perdendo a lei gravada em seu interior rapidamente.

Por que o homem teve, depois, que receber a lei dada de forma escrita?

Porque o homem nem mais pela memória era capaz de guardar estes mandamentos. A lei então que estava no coração e então na mente, teve que ser escrita em tábuas de pedra, porque o homem já não conseguia mais guardá-la internamente.

A Bíblia descreve claramente que não apenas o sábado foi cobrado antes da entrega das tábuas da lei, como leis já faziam parte do cotidiano de seu patriarca mais distante, Abraão!

(Gênesis 26:5)

Moisés descreve naturalmente, desde o Gênesis e antes da entrega da lei escrita, Deus cobrando daqueles que matavam, adulteravam, cometiam idolatria e por fim transgrediam o sábado.

Antigamente o povo entendia que aquilo era moralmente errado, mas isto foi se perdendo no tempo à medida que a lei internamente implantada ia enfraquecendo e o povo ia se esquecendo dos ensinamentos deixados por Deus.

Moisés, apenas não descreve aqueles mandamentos guardados por Abraão!

Tendo Deus criado o sábado no Éden, e por causa do homem, segundo Jesus, alegar, então, de que o sábado foi revogado após a queda no pecado é algo sem base nem fundamento.

E moisés não aplica a palavra sábado no evento do Éden, mas aplica o conceito de dia de descanso, segundo exemplo dado pelo próprio Deus.

E o próprio Deus entrega Sua lei agora escrita em tábuas de pedra, onde, dia de descanso é mostrado como sendo realmente o propósito do sábado. Deste modo não contrariando, mas afirmando aquilo que toda a Bíblia ensina, de que o sétimo dia foi criado e dado ao homem com propósito de descanso. E não apenas isto, mas bênção e santificação!

A lei dada de forma escrita apenas reafirma todos estes conceitos, onde é dito que o sábado é o dia em que o Senhor nos santifica (Êxodo 31:13).

Desta forma, o que Israel recebeu foram mais leis! E percebemos dentre estas que o mandamento do sábado não era um mandamento novo.

Não usar o sábado segundo o propósito em que foi dado é tão moralmente errado quanto não usar as demais coisas segundo o propósito que foi dado.

É anti-natural, é fora dos propósitos e da vontade de Deus. E sendo que o sábado foi dado com o propósito de descanso, deve ser usando com o propósito de descanso. E sendo que Deus criou o sábado com um propósito de bênção e santificação, deve ser usado segundo este propósito de bênção e santificação.

E não maldição, como estava sendo feito por alguns judeus seguindo sua tradição e ensinamentos, ao contrário do exemplo que Deus deu, demonstrando todo o cuidado para com o Seu povo, enviando o maná e não deixando nada lhes faltar. Assim como entregou tudo a Adão e Eva, não deixando coisa alguma lhes faltar, nem mesmo o descanso.

E na rebeldia em guardar os mandamentos, Deus nunca aboliu os seus mandamentos, mas reeducou o seu povo, castigando aqueles que tentaram influenciar os que guardavam a serem desobedientes, fazendo a vontade egoístas daqueles que não amavam a Deus, por que a lei dada por Deus era uma expressão de Sua vontade, caráter e cuidado e que mostrava, inclusive, a tolerância de Deus enquanto mudava os maus hábitos daquele povo.

E a lei escrita e que estava dentro da arca a aliança é a mesma que se encontra escrita na arca que está no céu (Apocalipse 11:19)?

É a mesma lei, quando Moisés viu o modelo do santuário, também viu todos os móveis.

A lei dada a Moisés, colocada dentro da arca, é uma cópia da Lei que há contida na arca no céu.

Deuteronômio 5, segundo o que o próprio Moisés relata, seria uma repetição do que Deus havia dito a ele anteriormente quando da entrega da primeira tábua.

E por que Deuteronômio 5 está diferente?

Porque Deuteronômio 5 é uma recapitulação do que Deus havia dado na primeira ocasião.

Ali, Moisés agrega certas razões pertinentes, após a rebeldia do povo aos pés do monte.  Segundo TODA a informação que lhe foi passada por Deus naqueles dias no topo do monte.

E obviamente Moisés guardou as tábuas entregues por Deus, cópia da primeira. De modo que o que está em Êxodo 20:11, é repetido por várias vezes na Bíblia, como em Salmos 146:6, Ageu 2:6, Atos 4:24, Atos 14:15 e no convite de adoração em Apocalipse 14:7.

E Moisés não faz ressalva de que este detalhe deva ser suprimido, nem a Bíblia, pelo contrário, reafirmando o valor do sábado como um dia de homenagem ao Deus criador, até no último livro de Apocalipse.

E sabe o que isto nos mostra, irmão?

Que este detalhe é tomado como um bandeira, por Deus, como motivo para guardarmos o sábado.

Deus criou um dia, para conter todo este significado e lembrar eternamente à humanidade quem Criou o homem bem como tudo tudo que há neste mundo, para que assim, nunca nos esqueçamos quem de fato é o nosso Senhor e o único digno de louvor e adoração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário