sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Sábado ou domingo?

 Querido irmão, em Atos 20:7, o que esta janta de Paulo com seus discípulos tem a ver com a santificação do domingo?

E:

"Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição”

Jesus não disse isto querido irmão, Jesus disse:

Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. (Mateus 5:17)

Cumprir do grego "plerô" que significa, completar, encher, preencher, encher totalmente. Em inglês traduzido por fulfill.

Jesus veio para cumprir o que a Lei dizia a respeito dele, como em Lucas 22:37, Lucas 21:22, João 19:28, Atos 13:29, Lucas 22:37, João 15:25, Lucas 24:44, João 19:36, João 17:12, 1 Coríntios 15:54, João 13:18, Atos 1:16, João 19:28, Marcos 14:49, Marcos 15:28, Mateus 26:56, Mateus 26:54, João 19:24.

E querido irmão, é a tradição judaica que pede que se guarde o sábado? Ou o próprio Deus em êxodo 20:10-11?

Foi a tradição Judaica quem escreveu os mandamentos nas tábuas dada a Moisés, ou foi o próprio dedo de Deus?

Foram os judeus que criaram o sábado, ou foi o próprio Deus na Criação?

E o irmão sabe o que significa a palavra apócrifo?

http://www.dicionarioinformal.com.br/apócrifo/

Significa, falso, duvidoso e não fazem parte do cânon inspirado da Bíblia.

“O domingo é uma instituição e suas reivindicações de observância podem ser definidas unicamente em princípios católicos… Desde o princípio até o fim das Escrituras não há uma só passagem que autorize a mudança do dia de adoração pública semanal do último dia da semana ao primeiro.”

The Catholic Press, Sidney, Austrália, agosto de 1899.

“Fazemos bem em recordar aos presbiterianos, batistas, metodistas e todos os demais cristãos que a Bíblia não os aprova em nenhum lugar em sua observância do domingo. O domingo é uma instituição da Igreja Católica Romana, e aqueles que observam este dia observam um mandamento da Igreja Católica.”

Priest Brady, em um discurso relatado no Elizabeth, N. J. “News”, 18 de marco de 1903

Estas conclusões são tiradas da Bíblia católica, mesmo utilizando livros apócrifos, porque relatos como este de Barnabé, apenas mostram a mesma atitude de irmãos de tradição católica hoje (incluindo protestantes) e que por livre e espontânea vontade, decidem adorar o domingo.

E Deus jamais chamou o primeiro dia da semana de Santo:

"Se desviares o teu pé do sábado, de fazeres a tua vontade no meu santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, e o santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras," (Isaías 58:13)

Pelo que eu saiba o Senhor é Jesus: Alí em Isaías diz que o Sábado é o dia do Senhor, e em Lucas diz-se:

"E dizia-lhes: O Filho do homem é Senhor até do sábado." (Lucas 6:5)

O antigo testamento diz que o Sábado é o dia do Senhor e o novo testamento diz que Jesus é o senhor do Sábado!

Cadê o domingo santo ali querido amigo? Onde foi que Cristo santificou o domingo no lugar do sábado?

Quem faz isto são cristãos, agindo por contra própria, sem ordem ou autorização divina! É isto que livros apócrifos como este mostram. Supostos cristãos desobedecendo a Deus, tomando iniciativas próprias. Mas não podemos ensinar isto aos irmãos, querido amigo, quem ensina tais coisas desde o princípio é Satanás.

Sendo que as Escrituras ensinam que o dia do Senhor é o Sábado e que Cristo é Senhor do Sábado e não do domingo, não podemos ir contra as escrituras, ainda que se encontrem livros apócrifos que sugiram o contrário. Muito menos tomando por base homens, pecadores, que agem por contra própria, como atribuído a tal Barnabé!

Devemos tomar como exemplo que, nem mesmo Cristo sendo Filho de Deus agia por conta própria, mas segundo o que Deus lhe ordenara e segundo o "Assim diz o Senhor"! Não podemos deixar de seguir o exemplo de Cristo, cumprindo as escrituras, para ensinar o exemplo de homens, em livros apócrifos:

Assim disse o próprio Jesus:

Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. (Mateus 5:19)

E Cristo estava se referindo a isto querido irmão, contido no verso logo acima:

Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido. (Mateus 5:18)

E a lei, querido irmão, diz de que devemos guardar o sábado e não o domingo. A palavra domingo querido irmão, não existe nas escrituras, tratando-se de uma alcunha em Latim dada por homens, não por Deus, à expressão "Dia do Senhor". O único dia que recebeu um nome distintivo, na Bíblia, foi o 7º dia, o sábado.

Outra coisa. Pelo que sabemos os cristãos da igreja primitiva, falavam grego e não falavam o Latim! E o senhor para os pagãos era o sol. Portanto, no contexto pagão, "dies solis" ou "dies dominicus" significavam a mesmíssima coisa porque o senhor para eles era o sol. Enquanto que para os cristãos "dies dominicus" significaria "dia de Jesus" porque para os cristãos o senhor era Jesus.

Isto porque a palavra dominicus não identifica quem é o senhor!

Agora o sábado identifica! Porque diz "cessação" e remete ao dia da criação, onde Deus descansou e ao Deus quem o criou, juntamente com este planeta:

"E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.
E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera."

Gênesis 2:2-3

E está na Lei:

"Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou."

Êxodo 20:11

Deus não estabeleceu o domingo, Cristo não estabeleceu o domingo, nem trocou-se como senhor do sábado para senhor do domingo, nem os apóstolos, incluindo Paulo recomendou que se fizesse tal coisa, nem mesmo em prol da fé:

"Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei." (Romanos 3:31)

E Paulo não levava em suas mãos algum livro apócrifo, nem algum carta recomendando aos irmãos que guardassem o domingo! Até mesmo aos gentios a recomendação era:

Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus.
Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação, do que é sufocado e do sangue.
Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas.

Atos 15:19-21

Era nas sinagogas e aos sábados que os gentios aprendiam nos livros de moisés, o pentateuco!

Nenhuma carta há de Paulo recomendando aos cristãos a guardarem o domingo. O domingo é inexistente na Bíblia, tudo que temos é o primeiro dia da semana de sempre e que existe desde a criação, assim como o segundo, terceiro e demais dias da semana.

E mais:

Veja o dia que Paulo guardava, já após a morte de Cristo:

E, despedida a sinagoga, muitos dos judeus e dos prosélitos religiosos seguiram Paulo e Barnabé; os quais, falando-lhes, os exortavam a que permanecessem na graça de Deus.
E no sábado seguinte ajuntou-se quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus.

Atos 13:43-44

Olha lá um Barnabé, juntamente com Paulo, continuando a pregar no sábado querido irmão, e não no domingo.

O irmão citou um verso, de uma janta de Paulo com discípulos para defender que aquilo era uma reunião litúrgica, pois lhe mostrarei várias passagens claras de Paulo em reuniões litúrgicas e de pregação de fato e outros versos que incluem o sábado:

E todos os sábados disputava na sinagoga, e convencia a judeus e gregos. (Atos 18:4)

E eles, saindo de Perge, chegaram a Antioquia, da Pisídia, e, entrando na sinagoga, num dia de sábado, assentaram-se; (Atos 13:14)

E, saídos os judeus da sinagoga, os gentios rogaram que no sábado seguinte lhes fossem ditas as mesmas coisas. (Atos 13:42)

Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado. (Atos 1:12)

E Paulo, como tinha por costume, foi ter com eles; e por três sábados disputou com eles sobre as Escrituras, (Atos 17:2)

Por não terem conhecido a este, os que habitavam em Jerusalém, e os seus príncipes, condenaram-no, cumprindo assim as vozes dos profetas que se lêem todos os sábados. (Atos 13:27)

Fora das sinagogas e longe dos Judeus:

E no dia de sábado saímos fora das portas, para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram. (Atos 16:13)

Logo após a morte de Cristo:

E, voltando elas, prepararam especiarias e ungüentos; e no sábado repousaram, conforme o mandamento. (Lucas 23:56)

E no ano 70, sobre a invasão de jerusalém? 40 anos depois da morte de Cristo? O que o próprio Cristo profetizou?

E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado; (Mateus 24:20)

Se depois de sua morte, os cristãos deveriam guardar o domingo, por que ELE, Cristo, se preocupou ainda com o SEU dia, o sábado?

Pergunto então ao irmão:

Exemplo de qual Barnabé o irmão ira seguir? Daquele que estava com Paulo descrito no livro inspirado de Atos, ou este que guarda um domingo segundo sua própria vontade, descrito em um livro apócrifo?

Irá se basear em diversas passagens da Bíblia que nos mostra claramente a observância do sábado? Ou em uma passagem que cita uma janta entre Paulo e seus discípulos onde irmãos católicos sinceros, porém enganados, extraem uma suposta liturgia em um domingo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário