sábado, 23 de abril de 2016

Deus realmente escreveu a lei nas tábuas de pedra com Seu próprio Dedo, ou foi Moisés?



Olá irmãos e irmãs, embora haja tendência a se ignorar estes dois primeiros versos claros de Êxodo 31:18, Deuteronômio 10:1-4 e ficar com o terceiro que parece contradizer o que o próprio Deus havia dito anteriormente, devemos na verdade ficar com os três versos e isto é possível quando harmonizamos esta aparente contradição:

Uma outra tradução nos dá melhor a informação:

"Moisés ficou ali com o Senhor quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão e sem beber água. E escreveu nas tábuas as palavras da aliança: os Dez Mandamentos." (Êxodo 34:28)

A pergunta que devemos fazer é: Quem escreveu? Moisés ou o Senhor?

Pelos dois primeiros versos sabemos que só pode ser o Senhor, senão a própria bíblia estaria se contradizendo.

"Então disse o SENHOR a Moisés: Lavra duas tábuas de pedra, como as primeiras; e eu escreverei nas tábuas as mesmas palavras que estavam nas primeiras tábuas, que tu quebraste." (Êxodo 34:1)

Veja esta outra tradução, daquele mesmo verso e que está em uma Bíblia versão Católica:

"Moisés ficou junto do Senhor quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão nem beber água. E o Senhor escreveu nas tábuas o texto da aliança, as dez palavras." (Êxodo 34:28)

Claro como a luz do dia não é mesmo?

Mas por que hoje tem se ensinado de que foi Moisés e não Deus quem escreveu nas tábuas da lei com Seu próprio Dedo?

Simples! Porque hoje há um movimento que pretende revogar a lei de Deus, mas note que esta parte é a ÚNICA que Deus não permitiu que nenhum homem escrevesse! É a única parte em que o próprio Deus escreve e com o Seu próprio dedo. Toda a Escritura é inspirada, mas esta parte é a escrita direta do próprio Deus e isto tem um grande significado. O que foi feito por duas vezes, o que mostra que estes princípios eternos jamais podem ser quebrados.

E os motivos para se querer quebrar esta lei de Deus é por conta de um único mandamento, o quarto, que nos pede para guardar o sétimo dia da semana, como um dia especial de homenagens ao Deus criador:

" Porque em seis dias o Senhor fez o céu, a terra, o mar e tudo o que contêm, e repousou no sétimo dia; e por isso. o Senhor abençoou o dia de sábado e o consagrou."

Uma homenagem à pessoa de Deus filho, por meio do qual, a criação de todas as coisas neste mundo foram possíveis segundo João 1:3.

A fim de servir como dia especial de descanso e homenagem ao Senhor Jesus, criador de todas as coisas:

"E então lhes disse: "O Filho do homem é Senhor do sábado"." (Lucas 6:5)

"Se te abstiveres de calcar aos pés o sábado, de cuidar de teus negócios no dia que me é consagrado, se achares o sábado um dia maravilhoso, se achares respeitável o dia consagrado ao Senhor, se tu o venerares não seguindo os teus caminhos, não te entregando às tuas ocupações e às conversações, então encontrarás tua felicidade no Senhor: eu te farei galgar as alturas da terra, e gozar a herança de Jacó, teu pai; porque a boca do Senhor falou." (Isaías 58:13,14)

Este é o motivo por se querer que a lei de Deus houvesse sido escrita por Moisés e não pelo próprio Deus. O fato de Deus ter escrito com seu próprio dedo Divino, nos confirma a certeza de que nenhum homem pode apagar ou mudar.

E por uma terceira vez Deus escreve esta mesma lei, agora no coração de cada Cristão, conforme prometido em Jeremias 31:33 e cumprindo-se em Hebreus 8:10 e Hebreus 10:16;

"Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor. Porei as minhas leis em seus corações e as escreverei em suas mentes"; Hebreus 10:16

"Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel depois daqueles dias", declara o Senhor: "Porei a minha lei no íntimo deles e a escreverei nos seus corações. Serei o Deus deles, e eles serão o meu povo. Jeremias 31:33

E no tempo de Hoje, onde se fala muito de evolucionismo, Deus novamente faz um apelo para que voltemos a adorar a Deus como Criador de todas as coisas em seu livro de revelações do apocalipse:

"Clamava em alta voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória, porque é chegada a hora do seu julgamento. Adorai aquele que fez o céu e a terra, o mar e as fontes." (Apocalipse 14:7)

Parafraseando aquilo que Ele mesmo havia escrito no 4º mandamento de Sua Lei, escrita de Seu próprio punho.

Leia : Romanos 7:12, Romanos 3:31, Mateus 5:17, Timóteo 3:16, João 5:39 e Mateus 19:17 sob a luz de Tiago 2.

A salvação é única e inteiramente pela graça (Efésios 2:8-9), porém, esta graça traz resultados na obediência, inclusive à Lei de Deus.

"Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta." (Tiago 2:17)

E uma informação extra: Foi o próprio Cristo quem escreveu nas tábuas entregues a Moisés, o mesmo que um dia libertara aquele povo  cativo, colocando o quarto mandamento, também, como um lembrete de Sua obra libertadora em Deuteronômio 5:15.

Veja a declaração de Cristo em João 8:58 sobre o "Eu Sou" que se apresentou a Moisés em Êxodo 3:14.

E sabendo-se que Cristo é senhor do Sábado e que o sábado é o dia do Senhor. Sabendo-se também que Cristo morreu na sexta, descansou no sábado na sepultura (no sono da morte como Cristo ensinava) e ressuscitou no primeiro dia da semana. E sabendo do dia apropriado, separado e santificado (Êxodo 20:11 e Gênesis 2:3) onde homenagens das antigas obras de Cristo foram relembradas, qual seria o dia mais apropriado para se homenagear tanto a morte como a ressurreição de Cristo, em Seu trabalho de redenção de toda a humanidade?

O domingo não tem lugar nas escrituras, nem no 4º mandamento. A lei de Deus continuou sendo ensinada, segundo Atos 15:21 e este mandamento continuaria sendo observado 40 anos depois da morte de Cristo, segundo profecia do próprio Cristo, Mateus 24:20, conforme podemos ver que assim se seguiu em Lucas 23:56, Atos 13:44, Atos 13:14, Atos 17:2, Atos 18:4, Atos 13:42 dentre outros versos.

Além do sábado, o apóstolo nos convida para um OUTRO descanso, não em substituto àquele, mas para que se possa descansar em Cristo, senhor do sábado, nos demais dias da semana.

Pois em certo lugar ele falou sobre o sétimo dia, nestas palavras: "No sétimo dia Deus descansou de toda obra que realizara". Hebreus 4:4

E nesta comparação o apóstolo usa o sábado e não o domingo como comparação ao Descaso no Senhor.

Isto nos mostra duas coisas: De que não havia naquela época um domingo (como dia do Senhor) que pudesse ser usado como referência ao descanso no Senhor. E que o sábado continuava vigente, a fim de servir de base comparativa para o Descanso no Senhor. Não haveria por que o apóstolo se basear em um mandamento abolido ao invés do domingo, que melhor representaria o descanso no Senhor caso este fosse o novo dia do Senhor.

E pelo fato de a palavra Domingo não constar nas Escrituras e não haver um único verso constando ordem ou autorização para mudança do 4º mandamento da Lei de Deus, e sendo o dia sétimo o dia de repouso divinamente instituído, não podemos nos atrever a mudar aquilo que Deus escreveu com Seu próprio dedo, baseando-nos em 5 citações sobre o primeiro dia da semana, em que nenhum dá ordem, autorização ou define explicitamente que tal mandamento houvesse sido mudado.

E o problema com a Lei de Deus e sua irrevogabilidade, hoje, é unicamente isto, a existência do 4º mandamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário