domingo, 1 de novembro de 2015

Sites anti-adventistas dissidentes

A dissidência que começou no céu

Boa parte dos sites de promoção do anti-adventismo, chegaram ao seu fim nos últimos anos, basicamente aqueles compostos por ex-adventistas, que decidiram por trilhar por um caminho mais nobre.

Hoje, porém, o anti-adventismo por parte de grupos dissidentes (uma outra categoria) tem continuado com a mesma linha de promoção de intolerância para com os Adventistas do Sétimo Dia.

O maior interesse por parte de tais grupos é combater a popularidade da Igreja Adventista do Sétimo. Para tal fim, utilizam-se do ato de difamação.

Relatarei acerca de um site que pertence a um destes grupos, que possuem ligação com igrejas adventistas dissidentes e que por conta própria combatem a Igreja Adventista do Sétimo Dia, ao passo que promovem as demais igrejas também ditas adventistas.


Exemplificação do método de difamação

Em uma simples cerimônia de batismo, a IASD foi acusada de discriminação entre pobres e ricos, ato gay por parte do sacerdote e do batizando, apologia ao sadomasoquismo e a afogamentos. Eis a cena:



Pode parecer absurdo que hajam pessoas capazes de fazer tal coisa à partir de um ato tão belo e simples, mas infelizmente a internet hoje tem abrigado, com louvor, mentes capazes de fazer coisas deste tipo, eis as acusações:

"Até o rito batismal foi alterado, para uma situação curiosa que lembra um afogamento de nuance sadomasoquista. No primeiro vídeo, o sacerdote de preto sequer entra na água para “afogar” o candidato vestido de branco. No segundo vídeo, pastor e candidato entram de mãos dadas na água… Cena, no mínimo, romântica demais para quem conheceu a Igreja Adventista do Sétimo Dia no tempo dos grandes conferencistas"

Tragédias relacionadas às instituições adventistas, tem sido também comumente usados como escárnio, a exemplo de um temporal que atingiu o IACS e destruiu parte da uma de suas construções, bem como 2 mil casas naquela região e que levou uma babá idosa a sofrer fratura nas duas pernas depois que a casas em que estava com duas crianças (que nada sofreram) desabou.




Parece estranho que haja pessoas capazes de tirar proveito deste tipo tragédia para seus propósitos, porém, mentes assim, sempre existiram de forma reprimida em nossa sociedade.

Com o adventos da internet e da sensação de anonimato, hoje tais pessoas se sentem mais confortáveis em fazer publicamente aquilo que antes era feito somente em grupos fechados.

Criação de seitas caíram em desuso e hoje os grupos que atuam desta foram preferem não se identificar, até para evitarem sanções mais enérgicas por parte da lei que sempre deu ênfase no combate a grupos que agem de forma formalizada e organizada.

O resultado de meu trabalho, porém, tem mostrado que o ato proposital de não se identificarem de uma forma especial, tem sido a única medida diferente adotada por este tipo de grupo de intolerantes religiosos.

E embora este tipo de site, aparentemente, se mostre como sendo de cunho individual, já se sabe que se trata de um grupo organizado.

Assim trata-se de uma organização composta de dissidentes, cujos membros interagem com o site por meio de comentários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário