sábado, 16 de janeiro de 2016

O evolucionismo e o problema com o desenvolvimento da inteligência humana

Macaco tentando evoluir para um ser humano?

Se a evolução do homem fosse gradual, implicaria que há centenas de milhares de anos atrás, o homem já teria capacidade de desenvolver a tecnologia de tínhamos à 150 anos atrás. Veja que não bate! A inteligência do homem não poderia se ampliar gradualmente, porque os resultados desta inteligência só notamos na última dezena de milhar de anos! Então a pergunta corretá é: - Por que até 20 mil anos atrás, só existiam macacos? O homem desenvolveu sua inteligência à 100, 200 ou 300 mil anos atrás para tão somente aplicar esta inteligência plenamente nestes últimos 10 mil anos? Não faz sentido! A tecnologia teria que se desenvolver à medida que a inteligência humana se desenvolvia. Então não dá para explicar este salto tecnológico de 10 mil anos para cá em conjunto com uma estagnação de centenas de milhares de anos de inteligência bem desenvolvida mas encubada. E veja, que há 10 mil anos atrás os desafios tecnológicos que haviam eram muito poucos, a humanidade não se empenhava em cálculos complexos de matemática e de física, estas coisas são contemporâneas. Então não foi ESTE tipo de desafio que aumentou a inteligência humana, o que percebemos é o contrário, de que a inteligência humana já estava plenamente desenvolvida para aplicação nas coisas complexas que temos hoje! Então não foram os desafios que aumentaram a inteligência humana! Senão teríamos que ter tido adversidades que forçassem o ser humano a desenvolver a inteligência que temos hoje. Mas isto também não faz sentido! Porque se houveram tais desafios que forçaram ao homem a exercitar seu cérebro, dando-lhe a capacidade de criar tecnologias arquitetônicas, onde estão os resultados destes desafios! Veja, por exemplo, o homem tem capacidade de criar monumentos arquitetônicos impressionantes! E se isto foi resultado de uma adaptação, então houve uma época em que o homem foi forçado a construir, por exemplo, monumento arquitetônicos impressionantes para sua própria sobrevivência! E isto se repete nas áreas bélicas, de medicina, de sociologia, de cálculos e tudo mais! Mas todas estas coisas, a exemplo dos complexos cálculos matemáticos e teoremas só possuem registro na história humana recente! Ou seja, realmente não houve nada que forçasse o homem a desenvolver toda esta capacidade que possui hoje! O homem simplesmente passou a construir as coisas e sua própria tecnologia nos 10 mil anos para cá! Não houve razão que obrigasse o homem a criar tamanha inteligência e também não houve problemas complexos na natureza que os levassem a desenvolver estas habilidades! Porque ao vencer estes desafios, de forma prática, veríamos os resultados do exercício desta inteligência, de forma palpável, na época em que os desafios surgiram! Ou seja, em 10 mil anos o homem que antes construía uma ponte baseada em um simples tronco de madeira que conectava as duas margens de um córrego passou a desenvolver pontes que atravessam mares, com uma inteligência que já tinha quando colocou o primeiro tronco ligando duas margens do rio. Não foi a necessidade de construir pontes mais complexas que criou, nestes 10 mil anos para cá, a inteligência que o homem possui! E se tal inteligência já existia antes de colocar o primeiro tronco entre duas margens do rio, quando é que o homem desenvolveu tal capacidade? Que problemas o levaram a desenvolver tal capacidade? Porque não vemos, por meio da arqueologia, os trabalhos de dezenas de milhares de anos frutos do exercício corriqueiro da inteligência humana? O que a natureza nos mostra é que o homem já entrou no século 20 com a capacidade de construir super-computadores, sem nunca, antes, a natureza ter-lhe imposto algo que exigisse tamanha inteligência a ponto de criar super-computadores! Nem uma avião a jato! Mas o homem os cria, com uma inteligência que já possui! E que desenvolveu a onde? Fugindo de predadores? Criando dispositivos para descascar mais rápido uma banana? Balançando em cipós? Não bate! Você desenvolve enquanto exercita! Se hoje o homem constrói computadores é porque a natureza impôs ao primata problemas tão complexos quanto exigiria a criação de um computador e não menos! Ou seja, o homem só pode ter aquilo que exercitou! O homem não poderia ter desenvolvido inteligência passivamente! Mas somente pelo desafio e pelo exercício! Portanto teríamos que crer de que a inteligência do homem se desenvolveu gradualmente e absurdamente somente dos 10 mil anos para cá! E que até então o homem não era mais do que um macaco pelado e mais bem apessoado. Porque é impossível crer de que houve há mais 10 mil anos na história desafios que pudessem capacitar plenamente o homem a resolver os problemas dos 10 últimos mil anos. Este é o argumento do desenvolvimento da inteligência humana que tenho proposta a evolucionistas acadêmicos e que nenhum consegue explicar. Quando foi que o homem teve tal tipo de exercício que o obrigou a desenvolver tamanha inteligência e capacidade que temos hoje e onde estão os resultados destes exercícios quando o homem, assim, conseguiu superar os desafios? E que tipo de problema exigiria tamanha inteligência quanto esta capaz de criar um jato super-sônico?

Nenhum comentário:

Postar um comentário