terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Resposta a comentário - Miguel é Cristo?

De minha parte entendo, em termos simples, que:
“Miguel” é um título dado à segunda pessoa da Divindade atuando no conflito entre o bem e o mal junto aos anjos, assim como “anjo de Yahweh” é um título dado à mesma segunda pessoa da Divindade atuando no conflito entre o bem e o mal junto à humanidade.
Um pouco mais sobre o assunto:

"Arcanjo", então, é uma designação usada quando Cristo atua na liderança dos anjos e que significa "chefe dos anjos".

A Bíblia faz referência ao chefe dos anjos batalhando diretamente contra Satanás, mas não define quem é este chefe dos anjos, senão pelo seu nome "Miguel" e que significa "quem é igual a Deus?" . Assim como a Bíblia faz referência ao "anjo de Yahweh” atuando entre a humanidade mas não define quem é este anjo do Senhor. E novamente aqui a palavra "anjo" significa "mensageiro" e o que temos de informação pelo nome é que se trata de mensageiro da parte de Deus, todavia, não é UM mensageiro da parte de Deus, mas sim O mensageiro da parte de Deus.

Entende-se que mesmo sendo O mensageiro, não é o único, pois como lemos, o "anjo de Yahweh” apareceu para Abraão acompanhado de outros mensageiros cuja função é o que lemos em Hebreus 1:14.

A Bíblia faz, também, referência à "o primeiro príncipe", "um dos príncipes" e "o grande príncipe".

Assim podemos entender que Cristo é este "primeiro príncipe", "um dos príncipes" e "o grande príncipe" junto aos anjos (em questão de governo e liderança entre os anjos), assim como se entende que  Ele seria o primeiro entre os mensageiros, um dos mensageiros e o grande mensageiro junto à humanidade "o mensageiro de Yahweh".


A DEFINIÇÃO DE ARCANJO

A definição Arcanjo Miguel, quando atribuído a Cristo, condensa dois significados importantes:

Como Arcanjo define a Sua posição de liderança entre os mensageiros e como Miguel a Sua essência (aquele que é igual a Deus);

É justamente o que encontramos na figura do "anjo de Yahweh" quando cremos se tratar do Cristo pré-encarnado.


QUANTO À QUESTÃO DA DEFINIÇÃO DE "PRÍNCIPE"

Veja como esta definição se entrelaça entre Miguel e Jesus tomando o mesmo contexto profético do livro de Daniel:

"Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos." Daniel 9:25

E após, diz:

"Mas eu te declararei o que está registrado na escritura da verdade; e ninguém há que me anime contra aqueles, senão Miguel, vosso príncipe." (Daniel 10:21)

Sobre Cristo:

"E pelo seu entendimento também fará prosperar o engano na sua mão; e no seu coração se engrandecerá, e destruirá a muitos que vivem em segurança; e se levantará contra o Príncipe dos príncipes, mas sem mão será quebrado." (Daniel 8:25)

Sobre Miguel:

"Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia." (Daniel 10:13)

Veja algo intrigante:

"Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro." (1 Tessalonicenses 4:16)

"deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem. Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação." (João 5:27-29)

Muitos estudiosos, e que se encontram inclusive no meio evangélico, são da opinião de que esta voz é do próprio Senhor:

A "voz do arcanjo" é, aparentemente, a voz do próprio Senhor no poder do arcanjo. Sua voz aqui aparentemente referindo-se à ressurreição dos santos do Antigo Testamento, pois Ele apareceu com frequência ao Seu povo naquela época como "o Anjo do Senhor". Ele agora os chama para fora de seus túmulos com a mesma voz que muitos deles conheceram. Eles ressuscitarão de suas sepulturas simultaneamente com os "que morreram em Cristo" e participarão da "primeira ressurreição" (Hb 11:40, 12:23 "aperfeiçoados").

http://acontecimentosprofeticos.blogspot.com.br/2012/01/o-arrebatamento.html

Matthew Henry e Calvino, dentre uma extensa lista de teólogos e estudiosos, acreditavam que Miguel não era mais do que um título honorífico de Cristo.

E assim o irmão consegue entender o porque de haver esta opinião no meio Cristão sobre Miguel ser nada menos que Cristo, em mais um de seus títulos honoríficos e que denotam uma função especial.

Mas estas são opiniões! Aconselho que espere os estudos de Theophilo, pois, embora seja importante entender os pontos de vistas e isto faz parte da boa teologia, nada substitui um estudo sistemático das Escrituras Sagradas.

O mais seguro é ficar mesmo com o Assim diz o Senhor e só bater um martelo se tivermos certeza À PARTIR DAS ESCRITURAS (tenho a minha posição segundo meus estudos e o irmão também deve ter a sua, com base em seus próprios estudos).

Nesta questão, só não podemos cometer o erro de, ao assumir Miguel como sendo um título honorífico de Cristo, o igualarmos aos anjos em natureza e essência (tomando-O como uma criatura), o que é totalmente contrário às Escrituras que apresenta Cristo sendo Deus no mais pleno sentido da palavra (Colossenses 2:9):

Para mais, visite:

http://novotempo.com/namiradaverdade/miguel-nao-e-mais-que-um-titulo-do-divino-jesus/

Nenhum comentário:

Postar um comentário