domingo, 25 de janeiro de 2015

Mutações benéficas e espécies intermediárias

exemplo de variedade confundida com mutação


https://www.youtube.com/watch?v=SnKZzEdGMMw

https://www.youtube.com/watch?x-yt-ts=1421914688&v=S2d3Vv-tJcw&x-yt-cl=84503534

https://www.youtube.com/watch?v=C4_YDcTnEh0

Há uma diferença entre estados intermediários e variedades (em um mundo de biodiversidade), especialmente no que se refere à espécies antigas descobertas pela paleontologia?


Também:

Não confundamos variação genética (da microevolução), com a mutação genética (da macroevolução).

A microevolução é científica, enquanto que a macoevolução é ainda uma teoria (hipótese) impossível de se comprovar em laboratório, ou através de cálculo, paleontologia ou outros meios. Tomemos como exemplo os supostos primatas ancestrais da humanidade reproduzidos à partir de ossos encontrados ao acaso (e que comprovariam indubitavelmente que o homem evoluiu) os quais tiveram que ser retirados dos museus.

Em suma, as teorias de Darwin não equivalem às teorias científicas, mas sim hipóteses!

A teoria científica (como no sentido aplicado à teoria da relatividade), esta sim:

"é o mais alto grau de conhecimento científico"

A teoria de Darwin, porém, é no sentido de uma hipótese, e nada mais! Não correspondendo de fato à uma teoria científica! (Nem o próprio Darwin jamais usou tal termo (neste sentido) para se referir ao seu trabalho. Em seu próprio livro o tom dado à palavra teoria, aplicada à suas observações eram no sentido de hipótes)

O evolucionismo moderno tem procurado pegar carona em fatos científicos como a microevolução. Por si só, porém, o macroevolucionismo, não pôde comprovar a si mesmo por meio de tais mecanismo microevoutivos. De forma que dependem de outras explicações provindas da mutação genética. Porém falha por não conseguir apresentar um exemplo ou um modelo do que seria uma mutação benéfica (incrementador de genoma), ou tão somente um cálculo, ou um uma fórmula, ou uma mínima regra de como o genoma poderia ser modificado a fim de originar uma outra espécies ao invés de tão somente seres defeituosos. Ou tão somente um vislumbre de como isto seria possível!

A microevolução explica perfeitamente a variação das espécies, o hibridismo e anda em perfeita harmonia com os estudos em cima do DNA como as engrenagens perfeitas de um relógio.

Deste modo a microevolução é suficiente para explicar as variações que notamos hoje nas espécies.

A ciência, portanto, não precisa da macroevolução para explicar estes mecanismos.

O que notamos, mesmo nas espécies antigas encontradas pela paleontologia são variações como as que temos hoje. Não se tratam portanto de espécies hibridas assim como as que temos hoje também não se tratam de espécies hibridas.

Enfim não há nada em termo de variações de espécies que não possa ser explicada fora da macroevolução.

Justamente pelo contrário, a macroevolução NÃO é utilizada para explicar quaisquer dos mecanismos modernos de evolução e adaptação. Até porque a macroevolução ainda não possui regras, cálculos, nem nada do tipo que possa ser utilizado pela ciência!

Pelo contrário é a macroevolução que carece de pegar bases em fatos científicos!

Assim sendo a macroevolução contribuiria apenas para explicar COMO os animais conseguiriam evoluir de uma espécie para outra, de um peixe, para um réptil (exemplo). O que não consegue!

O macroevolucionismo, hoje, apenas diz O QUE aconteceu, não conseguindo explicar cientificamente COMO aconteceu.

Isto deve ficar bem claro na mente de nossos amigos evolucionistas, para que não se confundam achando que se possa, hoje, em laboratório, por exemplo, reproduzir um processo de mutação genética benéfica, ou que, através da paleontologia, se tenha de fato achado algum elo perdido (espécie intermediária) confiável.

Achei oportuna as explicações de Richard Dawkins acerca deste assunto. Gostaria de ver outros ateus divulgando mais estas informações aos nossos amigos sobre não haver ainda um exemplo de mutação genética benéfica ou exemplar de elo perdido, cientificamente comprovados (ao invés de tão somente cultivados pela esperança).

Quanto ao bichinho na foto deste artigo, visite:

http://guerrovacriacionismo.spaceblog.com.br/1943761/Supostos-Seres-Intermediarios-da-Evolucao/

Nenhum comentário:

Postar um comentário